Vendo-a Gemer e Gozar

Blog de Contos Eróticos
Desde que nos conhecemos que estamos planejando uma festinha sacana, e depois de dois anos fomos a um hotel em Porto Seguro, e conseguimos realizar nossa fantasia, que era de sexo com um desconhecido.

No bar da piscina do hotel, depois de chegarmos da praia e já ter tomado umas cervejas e muito sol, ficamos aproveitando o final de tarde. Começamos a falar da fantasia e Márcia me confessou que naquele dia estava com fogo para trepar feito louca, e decidimos que iria ser ali mesmo que iríamos começar a caçada.

Havia duas mesas com alguns casais e solteiros, animados, bebendo e um dos caras começou a olhar Márcia mais insistente quando ela passava de biquíni, alias um fio dental bem sacana. O cara já estava inclusive a meia bomba e dava para ver sob a sunga.

Fomos para uma mesa mais reservada e pedi ao garçom que chamasse o rapaz até lá. Ele chegou meio desconfiado e fomos direto ao ponto. “Cara, estamos querendo uma fantasia, e você está com tesão na minha mulher, você quer subir um pouco até nosso quarto?” O cara ficou meio atrapalhado, mas concordou e subimos direto.
No elevador mesmo Márcia começou a agarrar o cara e deixá-lo louco. Entremos no quarto e expliquei, queria apenas olhar e deixar eles se divertirem, mas ele teria que mostrar que ia valer a pena.

Márcia foi para o chuveiro, tirar a areia da praia e voltou apenas de toalha, mito gostosa. Me sentei na poltrona e comecei a ver ela preparar um uísque para eles outro para mim. O cara que se chama Jorge tirou a camisa e ficou apenas de sunga, recostado na cama e Márcia perguntou o que ele queria primeiro, uma boa chupada ou queria chupar a bucetinha. E já foi se encostando engatinhando de quatro nua e linda. Jorge me perguntou, posso foder mesmo sua mulher? Claro, quero ver a gozada mais louca dela agora. Quer ver ela gemer no pau de um desconhecido? Vou arrebentar esta bucetinha e ela vai adorar. Márcia chamou logo o cara para a língua embaixo, se abriu toda e puxou a cabeça dele para a buceta.

Márcia gemia muito gostoso e rebolava, esfregando a cara dele na buceta. O cara tirou a sunga e começou a bater uma punheta enquanto chupava ela, mais alguns minutos e ela se virou de quatro para chupar o pau dele recostado na cama. Eu já estava quase gozando de ver, imagine Jorge. A suspeita da sunga se confirmou, Jorge que cabeção de pau você tem! E lambia e mordia aí eu também entrei e comecei a chupar a bucetinha e o rabinho dela de quatro.

Márcia que estava tontinha sentou na cacetão e encaixou até a metade de uma vez, deu um gemido “putz, vai me arrombar toda esta picona”, mais continou a rebolar e meter.

Me afastei e fiquei olhando a brincadeira. Ela se virou e foi sentando no pau, de costas para Jorge, que pode ver de perto aquela bunda gostosa e bronzeadinha. Márcia tem uma bunda linda, depiladinha e um cuzinho rosa que é um negócio de louco. Dedinho do cú, polegar esfregando, adivinha o que aconteceu. Ela tirou da buceta e se jogou de quatro pedindo:

-Fode meu cu de um jeito bem sacana, mas mete tudo. Jorge deu uma lambidinha na entradinha, botou um dedinho, acostumou e foi enterrando. Márcia rebolava e gemia feito um bicho, enquanto esfregava o grelinho e dava uma gozada linda.

- Fode esta bunda seu viado, mete tudo no meu cú... Foi o bastante para Jorge também derramar o leite nas costas dela e se largar.

Pedi a ele para tomar uma ducha e ir embora. Voltei para a cama com Márcia e fomos continuar a festa, ela estava totalmente larga na buceta e no cú, aquele pau arrombou minha mulherzinha toda e eu meti na bundinha mais uma vez e deixei meu leitinho quente lá no fundo, eu posso.

Conto erotico recebido por email by Márcia e eu

Conto Erótico - Cantada Irresistível

Blog de Contos Eróticos
Gosto muito de trepar e nunca tive dificuldade em arrumar uma boa cama quando precisava ou desejava. No inicio deste ano, estava sem trabalhar e participei de uma dinâmica para uma vaga em uma boa empresa aqui na região, para uma vaga na área de marketing e vendas. Na ante sala acabei trocando umas palavras com um executivo da empresa que fez questão de se apresentar para o grupo de candidatos e candidatas de uma forma simpática, o cara é bem charmosão e educado, o tipo de cara que uma mulher até resiste a primeira cantada, mas na segunda não tem chance, acaba caindo na rede.

Fiz a minha dinâmica e fiquei entre os quatro finalistas para a vaga que teria uma entrevista com ele. Pelos contatos do CV, onde havia meu celular, ele acabou me ligando antes da tal entrevista me convidando para um café num shopping próximo a sede da empresa, achei estranho, mas já imaginava o que iria ser o assunto. Marcamos e lá estava eu, com meus 23 aninhos, gostosa, perfumada e olhar de onça vendo o jantar.

Quando cheguei ele me elogiou, pelo desempenho na dinâmica e pela minha apresentação ali naquele momento, e eu estava mesmo muito bem. Unhas e cabelo do dia, blusinha elegante e um jeans de marca, comportado, mas revelador. Sentamos e ele mandou a primeira fuzilada:

- Carlinha, você tão jovem está preparada para conviver com a pressão da área de vendas? - Respondi que já havia enfrentado áreas bastante exigentes e não estava amedrontada pelo desafio. Então ele mandou a segunda:

- Você sabe que em vendas, muitas vezes mulheres, bonitas como você, precisam ser mais hábeis que o normal ou acabam perdendo negócios importantes, como você vê esta situação?- Tentei dar uma de boba e falar da minha formação acadêmica quando ele interrompeu.

- Não é isto, estou falando se um cliente te chamar para um almoço ou um uísque, para assinar o contrato, como é que você faz? Você topa e fecha o negócio ou amarela e perde tudo? Caramba, ele foi mais que direto. Perguntei se aquele café já era um destes eventos e ele sorriu maliciosamente, balançando a cabeça com um não, mas com os olhos dizendo que sim.

Complementei minha resposta, dizendo que poderia usar meu charme para ajudar os negócios, mas não o meu corpo, a não ser que a situação me envolvesse muito, e sorri, passando a língua entre os dentes e ainda perguntei “meu dente sujou de batom?”. O cara me puxou e tacou um beijão na boca que eu quase gozo. “Nossa chefe, você não perde tempo. Adorei.” Eu gosto muito disto em você, respondeu ele. Vamos sair daqui? Tenho que continuar com você em outro lugar. Fomos para o estacionamento do shopping, deixei meu carro e fui no dele para um motel, carrão de sucesso, som bacana, banco de couro, e eu já ficando meladinha com a situação. Mãozinha na coxa, passadinha de dedo entre os seios, e novamente eu já estava tremendo toda. “Este cara sabe foder uma mulher” pensei comigo.

Chegamos ao motel e ele abriu um pro-secco italiano, maravilhoso, me puxou na cantinho e começou a me amassar toda, aperta a bunda, encocha com força, arranca a blusa e eu já estava apalpando o cacete dele por cima da calça. Bom cacete, duro e grande. Me virei de costas para ele me abraçar e eu esfregar minha bunda naquele pau gostoso. Eu sei o poder que a minha bunda exerce sobre os homens, e com ele não foi diferente.

Ele abriu a minha blusa, tirou meu sutiã e abaixou o meu jeans, fiquei somente de calcinha preta e safada. Rebola, geme, esfrega e ele também já sem nada, pulamos na cama para eu receber a melhor e mais maravilhosa chupada que já tive. Já com meia garrafa de pro-secco no juízo, um empregão pela frente e um chefe no meio das pernas, me entreguei totalmente a luxuria e ao tesão. Gemia feito uma gata no cio e estava mesmo muito boa aquela brincadeira.

Adoro lambida na bunda, me virei de quatro e nem precisou pedir para ele entender, dedinhos esfregando meu grelo e língua varrendo meu cú e buceta de cima abaixo, eu rebolava e adorava aquela coisa doida. Tinha feito depilação total há 3 dias e estava uma coisa linda aquele parque de diversões adulto.

Já havia quase seis meses que eu não fazia anal, porque um namorado não gostava, vê se pode!! E o outro era muito grosso e eu não conseguia. Mas o descaradinho do futuro chefe, veio me abrindo com um dedo, depois dois dedos, depois três dedos e muita sacanagem no ouvido e pimba, encostou o cacete na minha bucetinha, enterrou devagar e muito gostoso com os três dedos na minha bunda. Um pau duro e largo foi me arreganhando toda, e eu adorando, eu sempre gostei de pau grosso e ele era na medida.

Menos de dez estocadas daquela pica na minha buceta e eu já estava derramando melzinho pelas coxas, gozei muito gostoso e ele percebeu que meu cuzinho piscava, arrancou da frente e começou a encostar na portinha do fundo. Cuzinho depilado, pau duro, e pro secco na cabeça, adivinhem o que aconteceu. Foi ficando gostoso e entrando e lá estava ele todo enterrado no meu rabo, o pau dele deve ter uns 20 centímetros e largo. De quatro eu olhava para ele e via o prazer que ele também estava tendo, vendo minha bunda linda engolindo ele quase todinho sem reclamar. Encostei a cabeça no travesseiro, empinei mais um pouco a bunda e mandei a frase venenosa:

-Fode meu rabo com vontade, seu viado, me come porra... - O cara enlouqueceu e quase me acaba com as pregas todas, meteu tudo e me apertou na cama de um jeito que achei que ia virar uma bolacha. Eu olhava para traz e pedia:

- Soca esta pau, caralho, enche meu cú de porra... - Pronto ... Eu já estava no domínio, e o futuro chefe se derreteu dentro de mim. Gozou lá dentro e se desmanchou nas minhas costas. Ficou um pouco paradinho, tirou o menino da casinha escura e sorriu mansinho.

-Tá contratada linda.

Tempinho depois fomos para uma ducha, e ele ficou admirando meus seios, rosadinhos e firmes, parece que tem silicone, mas são naturais. Mais uns beijinhos e ele me fez pagar um boquete no chuveiro. Ficou durinho de novo e fomos para a cama novamente. Desta vez, ele já estava meio sem bala e eu de fogo, aí foi a minha vez de maltratar o danado.

Sentei sobre ele e fiquei esfregando aquela picona grossa no meu grelo. Deixando ele beijar meus seios e falando sacanagem. Tava tão bom que encaixei o brinquedo na buceta e me soltei. Uiiii, mais outra gozadinha gostosa e já estava 2x1 para a menina...

Resumo da festa, já estou na empresa, sou uma das melhores da equipe de vendas, preciso dar uma saidinha técnica com um cliente.

Conto erotico recebido por email by Louka
Ocorreu um erro neste gadget