Fui Comida Dentro da Balada - Parte 2


Por vergonha ou para me fazer de difícil e não ver o velho que me comeu dentro da casa noturna que começava a freqüentar fiquei sem ir até lá no final de semana seguinte. Passado uns dias de minha transa não agüentei e contei para minha amiga Cristiane o que havia acontecido sem revelar muitos detalhes pois ainda sentia vergonha por dar para aquele coroa....... diante de minha confissão, me olhando com os olhos surpresos ela acabou me contando que estava apaixonada pelo segurança que vi ela abraçada naquela noite. 

Ele tinha vinte e cinco anos e era casado mas ficava com várias meninas na casa o que a fazia ter ciúmes dele. Constantemente ele ligava e pedia que ela fosse mais cedo para encontrá-lo mas sempre recusava pois tinha medo de se envolver ainda mais e acabar sofrendo.

A Cristiane , minha companheira de baladas , era muito bonita, morena clara com cabelos levemente ondulados um pouco abaixo do ombro, olhos castanhos e com bonita um corpo torneado, com seios maiores que o meu e uma bunda enorme. Quando saíamos juntas fazemos o maior sucesso com os garotos que babam quando passamos. Adoramos dançar dance music e funk de um jeito bem provocante e sensual e ver a cara de bobo que os garotos fazem... hahaha......

Incentivada ( e talvez excitada ) pelo que eu havia contado , me convidou para ir com ela mais cedo no próximo domingo antes da abertura da casa encontrar o seu amigo pois como estávamos em duas não daria para rolar mais nada e nós duas estaríamos seguras.

Conforme combinado , no próximo domingo, lá estávamos eu e minha amiga tocando a campainha do lugar. A Cristiane havia ligado antes e avisado que nós iríamos aparecer Estava com um frio na barriga pois as lembranças da última vez que estive ali estavam bem frescas na minha cabeça. Na verdade tinha gostado de transar naquela situação. Será que nesta noite encontraria o gerente? Como eu me sentiria? Teria vergonha? Nojo ? Ou com tesão? Logo o segurança apareceu e abriu o portão.. De um modo muito descontraído ele me cumprimentou com um beijinho no rosto e nos conduziu para dentro da casa noturna.

Fomos até o bar e pegamos algumas cervejas , minha amiga ficou abraçada com ele e conversávamos animadamente quando ouvimos o som de uma buzina. O segurança explicou que iria receber umas caixas de bebidas e que precisaria ir até o estoque para que o motorista descarregasse os engradados. Para não ficarmos sozinhas fomos com ela até o estoque.

Quando o segurança abriu a porta para receber a mercadoria ... que surpresa! O gerente estava com uma caminhonete e algumas caixas de bebidas destiladas na mão. Fiquei meio boba com a surpresa...... não esperava encontrá-lo daquele jeito..... ele me cumprimentou com um sorriso safado , acenou para minha amiga e colocou em um canto as caixas que carregava. O segurança pegou o resto das caixas na caminhonete , entrou e trancou novamente a porta. Que situação!!!!

- Chefe , vou com a Cristiane levar estas caixas até o bar..... cuida bem da nossa amiga...... disse o segurança pegando uma caixa e levando minha amiga pelo braço....

Ela me olhou com os olhos assustados....parecia que queria pedir socorro... ser salva...... mas que situação! Como fomos burras! Eles já deviam ter combinado tudo!!!! Armado para ficamos deste jeito....Abismada vi como que em câmara lenta minha amiga sendo levada para o bar ficando eu e o gerente sozinhos no estoque......... poderíamos ser estupradas sozinhas ali, aqueles caras podiam fazer o que queriam com a gente e ninguém poderia nos salvar....éramos um banquete para aqueles caras... duas meninas novinhas totalmente a mercê para que fizessem o que queriam com a gente.. pensei comigo mesma... será que ela agüentaria aquele homem de dois metros de altura? Não ia nem adiantar gritar.... lá da rua ninguém nos ouviria...aaahhh.... mas que se foda..... ela não disse que era apaixonada por ele? 

E depois foi idéia dela vir aqui antes do funcionamento da casa... e alem do mais deveria me preocupar comigo pois enquanto pensava, paralisada com a situação o gerente já foi me abraçando , me apertando forte..... por cima de sua calça pude sentir que ele já estava de pau duro..... só de pensar no tamanho de seu pau comecei a ficar excitada..... ... filha da puta.... não acredito que estava nesta situação de novo..... com esse velho estúpido....

- Olha espera um pouco.... eu não sou assim.... da última vez foi sem querer...... disse meio gaguejando.....

- Ah o que é isso loirinha??? Eu sei bem que você curtiu a nossa transa!!!! E agora nos estamos aqui de novo... dessa vez vai ser ainda melhor.....

Com a sensação de medo e excitada com a lembrança de nosso último encontro vi o gerente abrir suas calças e tirar para fora aquele pauzão , cabeçudo e cheio de veias..... novamente ele me fez abaixar e conduziu seu pau até a minha boca..... agachada ali.... em meio as garrafas de bebidas... chupei com vontade.... erguia o seu pau e passava a língua em suas bolas..... chupava uma por uma .... passava a língua do saco até a cabeça de seu pau..... apesar do tamanho abocanhava aquela cabeçona e o sugava..... tava gostoso ouvir ele gemer daquele jeito....

- Aaaahhhhh. ..... como você chupa gostoso....... vai minha cadela .... me faz gozar ....... meu tesãozinho......

Como da ultima vez, usando uma certa brutalidade, ele me ergueu e me beijou com força....tirou minha blusinha e sutiã e depois foi a vez de minha calça ....eu não acreditava que estava acontecendo de novo.... aquele velho..... estúpido.... iria me comer.....Então ele me deitou no chão sujo e arrancou a minha calcinha..... passou a lamber minha bucetinha como um louco..... aquilo estava ficando gostoso...... a situação toda era excitante e a minha bucetinha já estava encharcada.....

-Huuuuuummmm...... que delicia...... me chupa .... me fode bem gostoso com esse pauzão..... disse contorcendo meu corpo pelo chão......que língua quente.... aaahhh......

Nisso ele me virou com a barriga para baixo e começou a passar a língua no meu cuzinho....que delicia..... ele mordia minhas nádegas e passava a língua no meu reguinho e ia até a bucetinha.... meu cuzinho piscava.....empolgado, começou a enfiar o dedo para dentro do meu anus.... e eu senti um pouco de dor....

- Para........ assim não.......... tá doendo........ eu nunca fiz isso.......o que você pensa que sou???.......

Então ele puxou o meu quadril me fazendo ficar de quatro e me segurou os seios falando no meu ouvido.....

- Então hoje eu vou tirar o cabaço do seu rabinho.... vou fuder ele bem gostoso.... você vai ver........

Sentia aquele pau enorme encostado na minha bundinha .....parecia que estava em brasa.... fiquei assustada..... aquele pau não conseguiria entrar no meu cuzinho... esse cara iria me rasgar toda.... ....que velho mais safado....

O gerente começou a passar o pau pelo meu reguinho e na bucetinha.... lubrificava o seu pau com o caldinho que escorria pelas minhas pernas......colocou a cabeça na porta do meu cuzinho...... um calafrio percorreu meu corpo..... um misto de excitação e medo de ser arrombada me dominava..... forçou um pouco..... doeu bastante e dei um gritinho........ aquilo não ia entrar.........ele passou o pau de novo na minha buceta para
deixa- lo mais molhado e tentou de novo..... me contrai toda e encolhi a bundinha.... não ia dar..... percebendo isso o velho se levantou e correu até uma salinha e trouxe um pote com ele.... passou o conteúdo no seu pau e um pouco no meu rabinho. Experiente e paciente me colocou de lado e tentou enfiar novamente.....

Com dificuldade meu cuzinho foi se abrindo e a cabeça mais lubrificada entrou..... senti pontadas de dor e soltei um gemido....... Tava doendo mas eu estava muito excitada!!!! Ele me segurou mais um pouco e foi enfiando o que faltava..... aaaaahhhhh

- Calma gatinha..... já vai entrar......affffffffffff........ ta sentindo ? Já entrou metade.........

- Aiiiiiiii , ta doendo....... como teu pau é grande!!!! Ahhhh.......

Logo o seu pau tava todo dentro de mim...... não acreditava que tinha entrado tudo....... saia até lágrimas dos meus olhos..... ele ficou um pouco parado esperando eu me acostumar com o tamanho e sem tirar o pau do meu cuzinho me colocou novamente de quatro e começou a bombar devagar........

Apesar da dor ... sentia um prazer que nunca havia sentido...... tava ficando gostoso....... huuuummmmm....... meu cuzinho doía mas começava a gostar de estar dando o rabo..... o velho safado percebendo isto começou a se mexer com maior rapidez e logo estava metendo em uma velocidade incrível...... o barulho de sua virilha batendo na minha bunda era alto... pensei que poderia ser ouvido até de fora da sala.... comecei a rebolar e gozei dando gritinhos de tesão aaahhhhh não sabia que dar o cú me faria gozar tão gostoso .... o caro foi ficando louco com meus gritos.....

- Vai minha putinha ...haaaaa..... goza.....rebola no meu pau.....mexe gostoso.... igual quando você dança....vai minha cadelinha......

Era um vai e vem alucinante , já tinha gozado, meu corpo suava, meu cuzinho ardia , eu não imaginava que seria assim.... ele foi socando o pau até explodir em um gozo enorme..... seu corpo estremecia...... senti que estava sendo inundada com muita porra.....

- Nossa que bundona gostosa você tem!!!! Cuzinho apertadinho.... Foi a melhor foda que já tive!!! ele disse se levantando e desta vez, sendo um pouco mais atencioso me puxou pela mão ...

- Venha .,.... tem um banheiro lá atrás... vamos nos lavar.....

Fui o seguindo até o banheiro e tomei um banho com ele para me recompor. Meu cuzinho ardia e sangrava um pouco.... mas que merda! Eu , bonita e assediada por vários garotos tinha dado meu cú para um malcriado, velho e bruto....

No resto da casa , estava tudo silencioso, meu cuzinho doia e imaginei se a minha amiga também tinha passado por um sacrifício igual ao meu , dolorido e delicioso...

Chegada Inesperada


Meu nome é Celina(fictício), essa história se passou na minha festa de aniversário, sou baixa 1,56m, tenho seios grandes,bem branca, cabelos longos batendo na cintura e castanhos, olhos castanhos. Um rosto bonito, coxas grossas, bunda grande, buceta sempre raspadinha e cheirosinha...

No segundo dia de festa após ter passado a noite com meu primo em segundo grau e ter tomado café no sítio com todos os convidados sem que obvio ninguém desconfiasse de nada, eu me preparava para ir a piscina com uns amigos quando um carro entra pela porteira, nossa fiquei muito feliz. Havia brigado com minha mãe uns dias antes da festa e ela tinha dito que não iria, quando a vi chegando com meu padrasto fiquei radiante, fazia muito tempo que não a via, a ultima vez tinha quase um ano e ele fazia mais de 3 anos que não via, pois os dois viajam muito e matem contato apenas pelo telefone.

Corri para abraçar minha mãe assim que o carro estacionou, perdi completamente a noção, por alguns segundos parecia uma criança que recebera um doce. Nos abraçamos durante longos segundos e depois fui cumprimentar Roberto, seu marido.

Nossa, eu era tão criança a ultima vez que o tinha visto que nem me lembrava o quanto era charmoso, bonito. Mas deve ser porque naquela época eu ainda não pensava nessas coisas.Um homem de 37 anos, pele branca, cabelos grisalhos, não muito alto, com as pernas torneadas. Abracei-o dando dois beijinhos no rosto e ele me disse que eu estava um mulher. Em seu ouvido sussurrei “Você nem sabe o quanto!”.

Senti que ele ficou corado, sem graça. E fui com mamãe até o meu quarto que era o único que estava vago, como eles não dormiriam lá não haveria problema. Eles jogaram as mochilas e minha mão foi ao banheiro colocar um biquíni. Eu que já estava de biquíni por baixo da roupa tirei-a ali mesmo na frente de meu padrasto que tentava conter os olhares, mas era praticamente impossível, seus olhos percorreram minhas coxas, minha virilha, meus seios onde parou por alguns segundos, e me virei levemente para que de lado ele pudesse observar minha bunda com o biquininho bem encravadinho.

Ele me desejava e não podia mais esconder, o volume em sua bermuda era evidente.Minha mão saiu do banheiro e desceu correndo dizendo que esqueceu o protetor no carro e que ia direto p a piscina, mandando Beto encontrá-la lá. Ele foi até o banheiro e saiu rapidamente só de sunga, eu muito esperta fingi que o biquíni tinha desamarrado para que ele pudesse amarra, ele sentou-se na cama e eu fiquei de costas na frente dele, empinando bem a bundinha, ele terminou de amarrar e tentou se levantar mas eu o empurrei de volta na cama, disse que precisava dele p passar o óleo nas minhas costas.

Fechei a porta com a chave.
- Ta fechando porque?
- Ahh Beto, para ninguém me ver de bundinha p cima passando óleo, eu tenho vergonha. - E fiz carinha de tímida.
- E de mim não tem vergonha?
- Não, você é como se fosse meu paizinho né? - fiz voz de criança e caminhei ate ele com o vidrinho de óleo na mão, me joguei na cama de bumbum p cima e ele começou a passar nos meus ombros, descendo pelas minhas costas e voltava p cima.

Eu podia sentir seu nervosismo em sua respiração.
- Nossa! - disse mordendo os lábios -Que mãos fortes, tá tão gostoso.
- Já chega né? Passei nas costas todas.
- Ainda falta uma parte. -E ele continuou passando.
- Pode descer, ou você acha que eu só bronzeio do biquíni p cima? - Ele passou as mão em minha polpinha, respirando fundo as vezes, descia por minhas coxas ate meus pezinhos.

Ele parou e falou que tinha acabado, eu levantei rápido me sentando em frente a ele na cama e segurando sua mão para que não se levantasse. Ele me olhou nos olhos

- O mais você quer guria? -Empurrei ele que estava sentado com pernas de chinês na cama fazendo-o se deitar e subi em cima dele, seu pau estava muito duro, senti latejando na minha bucetinha, ele tentou se levantar, quando jogou seu corpo para frente eu beijei sua boca, ele relutou no inicio mas se entregou

Nossas línguas brincavam em nossas bocas e eu dei uma reboladinha em seu pau, sentindo seu volume gostoso, ele enrolou meus cabelos em sua mão puxando minha cabeça para traz, beijava meu pescoço e me chamava de cadela, sua outra mão apertava meu peito com ferocidade, ate machucando um pouco, ele me jogou de costas para cima na cama e subiu em cima de mim. “Tem que ser rápido, se não sua mãe vem procurar a gente” “Então vem Beto”. Sentia seu pau duro pressionando minha bunda, ele afastou minha calcinha do biquíni p o lado e colocou o pau para fora, eu empinei um pouco a bunda e minha xotinha a essa altura melada sentiu a pica entrar bem devagar.

Quando o pau gostoso entrou todo em mim ele jogou seu corpo sobre o meu, sentia seu peso todo sobre o meu corpo se seu pau profundamente cravado em mim, ele começou um vai e vem aumentando rapidamente a velocidade, eu já gemia gostoso, e ele começou a bombar, puxou meus cabelos e beijava e mordia minha orelhina, me chamava de puta, safada e metia feito um animal em mim, anunciou que ia gozar e encheu minha xota de porra quente.

Ajeitou o pau na sunga e endireitou minha calcinha, me proibindo de ir limpar

-Quero que você fique gozadinha a festa toda e pode avisar p o seu pai que hoje você vai dormir na casa da mamãezinha ok?

Fiz que sim com a cabeça e ele me beijou mais uma vez, sai do quarto e ele saiu logo depois. Pensamos que ninguém havia reparado, mas eu tinha me esquecido de uma pessoa.

Senti meu braço sendo puxado p dentro de um dos quarto no primeiro andar, um barulho e minha cara estava ardendo, ate eu perceber de onda havia recebido o tapa levaram alguns segundos. Meu primo Olavo me olhava nos olhos visivelmente transtornado, “

- Porque você fez isso?
- Porque as putas merecem apanhar na cara
- Do que você ta falando?
- Do seu padrasto no seu quarto, os gemidos que eu ouvi quando cheguei perto da porta. Eu podia ouvir os barulhos lá fora, o almoço estava quase pronto e meu pai gritava tentando me encontrar, a musica rolava e meus amigos se divertiam e tudo isso podia ir por água a baixo se meu primo resolvesse contar p meu pai.

Me ajoelhei na sua frente e perguntei “O que você vai fazer?” “Eu devia estragar sua festa...” e continuou falando mas uma coisa me chamou atenção e não pude ouvir o resto, o volume que seu pau duro fazia em sua bermuda, ele havia ficado excitado ao ouvir meu padrasto me fuder, esta em pé na minha frente falando “... loucura me meter com uma criança...” e eu segurei suas pernas na minha frente, beijei seu pau por cima da calça

-O que você ta fazendo? continuei beijando, passei minha língua no volume e ele ficou ainda mais duro em meu rosto “Cachorra” Abri o velcro da bermuda e puxei para baixo junto com a sunga, aquela pica gostosa e cheia de veias pulou em meu rosto, eu segurei e lambi, ele tentou recuar mas caiu sentado no chão, eu engatinhei ate seu pau e comecei a chupá-lo com vontade, arrancando gemidos, massageei as bolas, chupei gostoso, dei o melhor de mim, ate sentir minha boca ser invadida por toda a porra quente dele, engoli tudinho e fiquei observando enquanto ele me olhava sem saber o que dizer.

Levantei e sai do quarto para achar meu pai. O resto do dia foi tranqüilo até a parte em que meu pai e meu padrasto discutiram a “importância de eu passar um tempo na casa da minha mãe”...Como meu pai tem minha guarda meus planos acabaram frustrados e fui p casa com ele, mas as férias estavam chegando e eu com certeza ia arrumar um modo de me aproximar mais deles.

Meu primo foi me visitar mais uma vez na minha casa e nos discutimos, acho que ele tava gostando de mim, sei lá, ai quando percebeu que num ia rolar nada serio falou que ia viajar e nunca mais voltou. Espero que tenham gostado

Beijos

Aluninha

Sexo Proibido


Caralho. Lembro daquela noite como se fosse ontem. A coisa aconteceu e acabou mudando algo dentro de mim. Até mesmo a percepção do tipo de pessoa que eu sou mudou e agora não tenho certeza de mais nada. Tenho que compartilhar minha história com alguém e o fato de conseguir me manter anônimo na internet é um dos pontos que me motivou a fazê-lo, pois não tenho coragem de conversar pessoalmente com ninguém. Segue abaixo meu relato:

Fomos em dois carros com quatro caras em cada um. A turma de amigos estava toda reunida e a farra seria garantida naquela noite. Beberíamos, falaríamos besteiras e mexeríamos com todas as mulheres do lugar. Certamente seria uma das noites para se lembrar por meses devido conseguirmos reunir todos de uma só vez.

Todos os oitos fizeram o ensino médio juntos, no mesmo colégio. Porém com o término do curso alguns se afastaram devido a distância de nossas casas. Por sorte eu e mais três morávamos no mesmo bairro e sempre nos víamos lembrando as aventuras do tempo de colégio. Os outros raramente conseguíamos reunir e aquela noite tinha dado tudo certo e a velha turma estava unida.

A maioria do pessoal era “pegador” e aos poucos cada um arrumou uma mulher para ficar. No final da festa todos estavam bêbados e dispostos a levar as meninas para o motel, mas como sempre, umas se negaram a ir devido a aquele papo de: “na primeira vez que ficamos não rola, deixa para a próxima”. Eu fui um dos que ficou sem mulher e sem sexo. Encostei no bar e fiquei tomando uma garrafa de água quando os outros começaram a aparecer. Da turma toda, seis ficaram na mão assim como eu.

A merda foi que dois deles conseguiram convencer suas garotas e foram embora com elas para algum motel. E justo o que me dera carona. Agora estávamos em seis para um carro. Eu é que não pegaria um táxi. Iria junto de qualquer maneira.

Na hora de ir embora o dono do carro aceitara levar todos e pediu que nós que nos acomodássemos do jeito que desse. Foi a maior folia, todos bêbados se apertando no carro eu acabei ficando por ultimo e não havia lugar mesmo para mim. Márcio, então falou que eu teria que sentar no colo dele. Foi a maior tiração de sarro, eu falei que não, mas no final tive que ceder e sentar no seu colo no banco de trás. Éramos todos amigos e achei que aquilo não faria tão mal. Ledo engano... Foi aí que tudo começou...

Após rirmos bastante, todos de tão bêbados que estavam, dormiram. Eu estava de olhos fechados, mas acordado, torcendo para chegar logo em casa, quando percebi alguma coisa se mexendo embaixo de mim. Pensei ter sido apenas um reflexo de Márcio e não liguei, mas a “coisa” se mexeu de novo e pude perceber que meu amigo estava de pau duro. Achei aquilo estranho,provavelmente Márcio estava tendo algum sonho erótico ou algo parecido. Agradeci por ele estar dormindo e eu não passar vergonha por aquela situação desagradável.

O carro ia andando tranquilamente e em um sacolejo eu me mexi e minha bunda encaixou ainda mais no pau de meu amigo. Agora eu podia sentir seu membro certinho entre minhas nádegas. Não sei por que mais achei a sensação gostosa e tive um princípio de ereção. Me surpreendi comigo mesmo. Nunca tinha pensando em homens e tenho certeza que meu negócio era mulher, mas por que a situação tinha mexido comigo?

Pensei em me ajeitar para que minha bunda sentasse somente na sua perna, mas fiquei com medo de que Márcio acordasse e percebesse a situação. Ele de pau duro e eu sentando nele. Talvez ele despertasse os outros para tirarem sarro de mim. Fiquei imóvel, esperando que logo chegasse em casa.

Sob minhas nádegas o pau de Márcio se mexeu, latejando ou incomodado com meu peso. Parecia que seu pau roçava meu ânus e que nós dois estávamos somente de cuecas, tanta era a percepção que eu tinha de seu pau. Imaginei que ele tivesse o mesmo tamanho que o meu. Agora eu já estava totalmente ereto e tive que ajeitá-lo, pois doía comprimido pela minha cueca. Quando o fiz, mexi sem querer um pouco os quadris e senti ainda mais seu pau me roçando. Um calor agora me invadia Eu estava surpreso por me sentir assim. Nunca fiz troca-troca ou tive qualquer experiência parecida. Mas eu tinha me excitado por sentir um pau duro entre minhas nádegas.

Para minha sorte chegamos em frente a minha casa. E eu rapidamente abri a porta do carro e sai antes que Márcio acordasse. Me despedi do Alex, o motorista, e fui para casa contente por ninguém mais no carro acordar e perceber alguma coisa.

Em casa, sentando na beira de minha cama, fiquei pensando no que aconteceu. A ereção se mantinha e eu não sabia o que fazer. A vontade era me masturbar imaginando novamente a situação, mas estava assustado comigo mesmo. Seria aquela a única vez que sentiria esse tesão proibido?

Continua....

Conto erótico by Rogério
Ocorreu um erro neste gadget