Surpresa

O que vou contar agora foi algo que há dois anos atrás transformou minha vida. Preciso fazer uma introdução para que todos entendam o porque do título deste conto real. Casado na época do ocorrido há 9 anos, pai de 3 filhos e com uma mulher exemplar no que diz respeito a companheirismo, amizade e fidelidade.

Apesar de não ser muito ligada a sexo ela com o passar dos anos passou a fazer tudo que se possa imaginar em relação a sexo, isto é claro devido as minhas constantes exigências, já que eu nunca havia saído com outra mulher depois de casado e então quem teria que atender as minhas fantasias , claro seria ela e assim foi.

Baseado nisto dentre outras coisas fazíamos sexo sempre usando consolos desde muito pequeno até enormes, sempre precisávamos lavar a todos e esconder pois como já disse tínhamos 3 filhos. Em um certo dia cheguei em casa cedo e a cama estava toda desarrumada senti que minha esposa ficou surpresa com a minha chegada mas nada além disso, porém quando entrei no quarto para trocar de roupa achei um dos consolos caído embaixo da cama, para não despertar suspeita não mexi e alguns minutos depois voltei ao quarto e não estava mais lá.

Aquilo me deixou encucado já que nem na minha presença ela gostava de brincar com o consolo sozinha, as vezes eu pedia e ela não fazia, aí pensei nada demais, pois eu também me masturbo, e o tempo passou, dois meses depois cheguei em casa novamente cedo e ela ainda não tinha chegado do trabalho devido a um acidente na Av. Brasil, estava eu na cozinha tomando um café quando ouvi chamarem por ela bem baixo e a voz vinha do muro ao lado , ou seja da casa da vizinha, vizinha esta que tinha um filho de 18 anos chamado Beto, e era ele que a chamava, achei estranho e fui falar com ele, de repente seria a bola de futebol que caíra no meu quintal

Quando cheguei de um ponto que ele não me via ainda, mas eu já o via, reparei que estava só de cueca. Parei e aí maldei tudo, fiquei quieto e deixei ele chamar novamente, quando ele fez isto respondi baixinho forçando uma voz feminina que sei imitar bem, para ele ir embora que meu marido voltaria cedo hoje. E ele respondeu o seguinte: 

- Estou só de cuecas e de pau duro, e meu amigo Vander só esta esperando o meu sinal para pular o muro também.

Fiquei tonto e novamente fazendo voz feminina mandei eles voltarem no dia seguinte, ele se foi. No dia seguinte é claro deixei meu carro lavando no posto e cheguei bem cedo minha esposa chegou logo depois mas não me viu pois eu estava escondido no banheiro de empregada que ela já mais usa. Mais ou menos 1 hora depois Beto pulou o muro já com o seu amigo Vander que era um outro rapaz mais novo ainda porem do mesmo porte do Beto e ainda um pouco gordo.

Eles entraram sem chamar a porta dos fundos já estava aberta aí fui para um lugar que já tinha preparado para assistir o que iria acontecer de camarote era pela janela lateral do quarto pelo vitro de cima que eu já havia aberto antes deles chegarem, foi só levar uma escada de armar e ficou fácil. Quando eles entraram no quarto ela estava deitada de bunda para cima com uma mini calcinha. Minha esposa não é nenhum avião, mas uma mulher com cara de séria, mulher madura e com uma bunda maravilhosa.

O Beto se encaminhou direto para onde eu escondia os consolos enquanto o Vander foi passando a mão pela bunda de minha mulher e ela sem falar nada só gemia percebi ainda que Beto trazia com ele uma máquina fotográfica depois de pegar os consolos disse para minha mulher que já estava de quatro sendo chupada, que ele iria tirar fotos dela dando o cu, para os consolos e para o Vander, já que ele era o seu amigo de número 5 que comia a bunda mais gostosa do bairro

Inicialmente ela disse que não, então ele disse que então iria embora com seu amigo e não a comeria mais, neste instante ela virou-se de frente e disse: Isso não, isso eu não agüento, pode tirar foto a vontade, nisso começou a chupar o pau do Vander que era bastante grande pela idade que fiquei sabendo no transcorrer da foda que tinha 16 aninhos.

Enquanto isso Beto tirava foto de todas as formas, chegava a quase encostar a máquina na buceta dela e nu cu, e depois mandou ela sentar em cima do pau do Vander enquanto ele enfiava o consolo maior e mais grosso no cu dela e tirava fotos a festa durou 1 hora no meio da brincadeira eles gozaram no copo para ela beber, depois enfiaram os dois paus ao mesmo tempo em sua buceta e tudo regado a foto, e importante dizer que eles só a tratavam de puta, vagabunda, vadia etc. e ela adorava por fim enfiaram uma garrafa de coca média e ela pedia mais.

Desci da escada e fui para os fundos da casa e liguei para ela do celular, ela atendeu pois tenho um telefone na mesa de cabeceira e perguntei se estava tudo bem e ela respondeu que estava maravilhoso, pedi para ela esperar um pouco pois eu estava no trânsito e tinha um guarda no sinal, e nisso voltei para o camarote e pude ver que enquanto ela falava comigo eles continuavam com a garrafa enterrada nela e passando seus paus pelo seu rosto e telefone que ela chupava a tudo.

Ouvi quando perguntaram quem era e ela disse que era o corno, aí eles pediram para ela não desligar porque queriam come-la enquanto ela falava com o corno, desci novamente da escada e voltei a falar e sentia sua respiração ofegante ela me perguntou que horas eu chegaria e eu disse que em meia hora estaria em casa , desliguei e fui pegar meu carro quando voltei estava tudo arrumado ela inclusive já tinha ido buscar nossos filhos que estava na casa de sua mãe que mora perto.

Me recebeu como sempre com muito amor e carinho, só que a partir deste dia a trato como uma puta, até porque contei a ela dias depois que tinha visto tudo e inclusive peguei depois as fotos com o Beto e sempre que ela não quer atender a algum pedido meu faço chantagem com as fotos e ela sempre é claro cede aos meus pedidos.

Hoje em dia Beto faz parte da nossa vida sexual além de alguns dos seus amiguinhos. Já colocamos Ana Lúcia minha mulher para transar com cachorros, cavalo e até um boi na fazenda do pai do Beto, e agora acho que ela não consegue mais ficar sem essas loucuras, pois sempre que ficamos mais de uma semana sem isso ela implora por uma loucura.

Conto erótico recebido por email - autor anônimo

A Insaciável

No final de janeiro, fui com minha namoradinha a uma festa na Floresta, um bairro classe média aqui de Belo Horizonte Sei que acabei me excedendo na bebida e amarrei o maior porre. Susete minha garota, resolveu me levar para sua casa, onde eu ficaria até melhorar. Proibindo-me de pegar no volante, ela guiou o carro até Cidade Jardim, chegando a porta de sua residência, apoiando-me em seu ombro, entrei na sua casa.

Ela tez com que me sentasse no sofá da sala, enquanto me fazia um café bem forte e amargo. Pediu que não fizesse barulho, pois os pais estavam dormindo. Assim que terminou de falar, surgiu na sala sua irmã Ana. Eu já a conhecia, mas fiquei surpreso ao vê-la coberta por um transparente baby doll que me deixava ver as formas perfeitas de seu corpo adorável.

Susete pediu que ela me fizesse companhia enquanto fervia a água e conseguia um comprimido para eu tomar. O meu estado não era dos melhores, eu via Ana meio desfocada e sentia um mal-estar horrível. Ela, carinhosamente sentou-se ao meu lado no sofá e colocou uma almofada sob a minha cabeça. Mesmo zonzo, eu conseguia ver, e não parava de olhar para suas pemas bem-feitas, sua vulva coberta por uma minúscula calcinha, que deixava a mostra parte de seus pêlos.

Seus seios também não escapavam ao meu olhar e se ofereciam tenros debaixo daquele tecido levíssimo Uma porção de coisas passava por minha cabeça Entre elas, a vontade de pegar Ana e trepar com ela ali mesmo na sala, porém, a chegada de Susete dissipou todas aquelas idéias de bêbado. Tomei o café e minha namorada voltou á cozinha para buscar o comprimido. Ana, levantando-se, foi até o aparelho de televisão e o ligou.

Quando se abaixou, deixou a vista sua bundinha arrebitada e carnuda. Apesar de estar com os reflexos entorpecidos, meu membro latejou sob a roupa. Ela, com o corpo ainda levemente curvado, virou-se para mim, proporcionando-me a visão de seus seios fartos e bem delineados, com mamilos pontudos e róseos. Susete me faz tomar o remédio e novamente me recostei no sofá. Um filme de bangue bangue gritava no vídeo e eu quase morria com o barulho detestável dos tiros.

Aos poucos fui melhorando. O mal estar passou e com ele a dor de cabeça. Susete pediu-me licença para tomar um banho e mais uma vez fiquei a sós com Ana. Assim que sua irmã saiu da sala, ela veio em minha direção e sentou-se ao meu lado. Num movimento instintivo, passei a mão em tomo de sua cabeça e a encostei em meu peito.

Ela um pouco surpresa, levantou-se e aí trocamos um olhar tern, que acabou encorajando-me a beija-la. Nossas bocas se colaram sem pressa e nos entregamos a um beijo longo, molhado e gostoso. Assim que ouvimos barulho no corredor, nos separamos e logo Susete chegou a sala, com uma toalha em volta do corpo. Acenou que esperássemos, pois iria vestir uma roupa. Mais alguns minutos e minha garota voltou. Eu, alegando ter melhorado, disse que ia embora. Mas Susete argumentou que eu não deveria ir, que podia dormir aquela noite em sua casa.

Simulei hesitar, fiz que não, porém ela insistiu, ajudada por Ana. Claro, acabei ficando. Enquanto Susete foi arrumar um quarto para mim, tentei dar uma sarrada em Ana, mas ela se esquivou, dizendo que era cedo para tal coisa. Beijou-me e foi se deitar. Deitado, não consegui dormir. A imagem do corpo de Ana não me saia da cabeça.

Meia hora, creio, se passou e ouvi barulho na maçaneta da porta. Em segundos ela se abriu e Ana entrou. Fez sinal para que não fizesse barulho. Só de cueca, me levantei e fui ao seu encontro. Nem precisamos de palavras, nos abraçamos apertado. Meu pênis  automaticamente endureceu e parte dele ficou para fora da cueca, atingindo as coxas de Ana.

Seus seios se comprimiram contra meu peito e nossas línguas famintas novamente se encontraram. Ela pediu-me para não fazer barulho, pois sua irmã poderia acordar. Concordei e logo minhas mãos apertaram suas nádegas e foram abaixando a sumaria calcinha que mal lhe cobria o sexo. Por sua vez, sem perda de tempo, ela desceu sua mão até o meu sexo, agarrando-o com volúpia.

Meus dedos lhes atingiram o interior da vagina, arrancando-lhe gemidos de prazer. A cada movimento deles, ela vibrava mais. Devagar, fomos nos chegando até a cama e lentamente nos deitamos. Sem parar os movimentos sobre seu clitóris embrasado, esperei que ela tirasse o baby doll, ficando inteiramente nua. Um perfume silvestre se desprendia daquele corpo fresco, jovem. Agradecida, Ana apertava forte meu pênis, que latejava em sua mão.

Nossos beijos eram dados com sofreguidão e ela já me pedia para penetra-la. Atirei minha cueca ao acaso e meu pênis se arremessou contra a abertura de sua vagina. Um empurrãozinho e a glande entrou. Ana estremeceu, engoliu um gemido e pediu-me para enfiar. Fui, devagar. Seus olhos estavam fechados, e a boca entreaberta não continha os gritos -abafados - daquela fêmea alucinada. Acelerei os movimentos e um grito mais alto fugiu de sua boca.

Ela suspirou, gemeu, disse coisas que eu não conseguia entender. Seu corpo se grudou ao meu e sua boca mordeu meu ombro. Anunciou com a voz quebrada que estava gozando. Chorando convulsamente, pediu-me que gozasse; queria sentir meu esperma quente em suas entranhas. Em movimentos ágeis, gozei, despejando-lhe que me pedira. Ela afrouxou os braços em tomo de meu peito e relaxou. Poucos minutos depois de nos separarmos, aquela potra insaciável já queria mais. Enxugou-se com o lençol e, puxando-me, fez com que minha cabeça fosse encontrar seu sexo.

Comecei a chupa-la. Minha língua se agitou sobre seu clitóris, que se tomou intumescido dentro de minha boca. Ela, suspirando, curtia deliciosamente aquela caricia. Escorreguei a língua do clitóris e saboreei os sucos que se desprendiam de sua vagina. Ela, ao mesmo tempo que arfava, mexia ritmadamente sua pélvis contra minha boca. Um pouco mais e ela puxou meu corpo para cima e com uma das mãos guiou meu pênis  já ereto para sua gruta. Bem lubrificada, não tive dificuldades para penetra-la e, em três firmes movimentos, estava todinho dentro dela.

Suas pemas, suspensas no ar, acompanhavam os meus movimentos até que se entrelaçaram em tomo do meu corpo - ela estava começando a gozar. Não parei de me movimentar dentro daquela mulher. Obtive absoluto controle da ejaculação e fiz com que chegasse a vários orgasmos. Tive um certo receio de - a qualquer momento - Susete, ou quem quer que fosse, ouvir os gemidos, o palavreado de Ana. Só muito depois, rodando com ela na cama em posições as mais acrobáticas, é que me permiti o gozo, que aconteceu aos solavancos, tal era a minha excitação.

Acendi um cigarro e conversamos um pouco. Disse-lhe que estava com sede e ela foi até a geladeira e me trouxe água. Bebi. Voltamos ao papo - sobre a primeira vez dela - e novamente nos acariciamos. Ana, com a voz mais tema deste mundo, disse-me que queria que eu fizesse algo com ela. incentivei-a a levar adiante e então pediu-me para ejacular em seu rosto.

A principio não entendi direito, mas ela me fez calar. e iniciou uma deliciosa chupada em meu membro. Sua boca quente e escolada logo realizou o grande milagre e meu pênis, em poucos segundos, endureceu. Deitada de costas, comigo ajoelhado sobre a parte superior de seu corpo, prosseguiu a falação. Pelas minhas expressões de prazer ela ia controlando meu orgasmo, que se prolongou por alguns minutos. Mais um pouco e comecei a ejacular, o que a fez tirar meu instrumento de sua boca, colocando-o a altura de seu rosto.

Em golfadas, meu sêmen atingiu seus olhos, nariz e boca, Ela o apertava e me agradecia o favor que lhe fizera. Imaginei, feliz, que tantas vezes que ela quisesse poderia abusar destes meus favores. Cuidei de tomar um banho - rápido - e quando voltei para a cama não encontrei mais Ana. Era inútil qualquer tentativa de procura-la. Mas o sono não demorou a pintar e dormi como um anjo. No outro dia, sai bem cedo. Susete me levou a porta e marcamos um encontro para mais tarde, na faculdade. Quanto ao que ocorrera durante aquela noite, ela não se tocou de nada.

Conto erotico recebido por email by Márcio de São Paulo

Eu, Meu Marido e Rafael ...

Somos casados há mais de 10 anos e meu marido sabe que eu adoro um pau grosso, já brincamos muito com vibradores, mas o real é que é bom. Acertamos uma vez em procurar um garoto de programa na primeira viagem que fizéssemos, o critério de escolha é claro seria o instrumento.

Fomos para a Bahia, e depois de 3 dias de praia, marquinha de biquíni e cervejas, decidimos colocar o plano em ação. Entramos em um site e localizamos o garoto. Eu tenho pouco mais de 30 anos, mas estou ótima. Gostosa. Marcamos no bar do hotel onde estávamos hospedados e em meia hora chega o rapaz, Rafael, alto, forte e simpático. Nos sentamos e começou aquele papo sem muito futuro.

Roberto me pediu uma roska (vodka com fruta) e eu engoli e me soltei de vez, os chamei para subirmos e fui direto para o chuveiro, eles ficaram sentados me esperando. Saí de lá apenas de toalha e meio bêbada. Comecei a beijar Rafael, na boca, no pescoço e me enroscar, enquanto meu marido apenas olhava. Ele tb me beijava e amassava toda com mãos fortes e grandes. 

Fui para a cama e pedi para eles começarem a brincadeira. Meu marido disse que apenas iria olhar, Rafael arrancou a camisa e a calça e colocou para fora o negócio que pelo site já era grande, imagine para mim já cheia de vodka.

Comecei a beijar o pau dele e lamber as bolas, pesadas e grandonas, adoro ficar chupando de quatro e rebolando, ele então começou a apertar a minha bunda e esfregar os dedos nas minhas entradas. Que delícia! Aquele pau mal cabia a cabeça na minha boca, imagine na minha xoxotinha.

Ganhei uma chupada gostosa dele no meu grelinho que estava totalmente duro e melado, e resolvi experimentar a bitola do cara. Fui sentando devagar e percebendo o quanto entrava, como estava muito melada e excitada, o pau entrou todo, mas me alargou toda também.

Senti minha xoxotinha virar uma bucetona em segundos. Com a luz pouquinha e o tesão muitão, comecei a cavalgar e não demorou veio o primeiro gozo, lá de dentro, senti caminhando por minha virilha e estremecendo meu corpo todo. Nossa! Delícia!

Rafael me virou de costas e começou a me penetrar por trás, abrindo a minha bunda com as mãos, e exibindo meu cú, fiquei com medo dele tentar meter lá, mas meu marido não iria deixar. Meu rabinho já estava queimadinho e devia estar lindo todo aberto com aquele pauzão enfiando e saindo.

Ele cuspia no meu cuzinho e esfregava o polegar, falando que dava o maior tesão foder uma bunda daquelas, isto me fazia rebolar mais e gozar outras vezes, de quatro e já toda largada. Pensei, já estou fazendo uma doideira, vou ver se cabe tudo em minha bundinha, me virei para trás e pedi ao Rafael, "come meu rabo bem gostosa seu safado".

Não precisou falar outra vez, ele sacou da minha xoxotinha toda vermelha e começou a forçar meu cú. Caramba, aquilo parecia que era quatro vezes maior. Mas a cabeça passou e ele deu aquela paradinha estratégica, acostumei com a bitola e ele foi descendo o peso e sumindo dentro da minha bunda com um pau enorme e grosso.

Meu marido veio para perto de mim e começou a me beijar muito gostoso, me vendo sofrer e chegar perto da terceira gozada em menos de 30 minutos. Rafael começou a bombar mais forte e esfregar meu grelinho, empinei a bunda e mandei ele socar tudo. Caramba! Estava sendo arrombada na frente de meu marido e ia gozar de novo, no pau daquele cara desconhecido e muito gostoso.

Senti o pau dele dar os sinais de gozo e o meu veio junto, gozamos forte, gostoso e juntos.Parei, ele saiu de dentro e foi ao chuveiro, meu marido me deu outro beijo e me disse que tinha filmado quase tudo, inclusive aquela gozada.

Ufa!!! Estou sentindo um calor... 

Conto erótico recebido por email by Roberta da Bahia

Uma Ótima Fantasia Rolou com Uma Linda Loira

Contos Erotico
O desemprego cresce no país. Tem gente perdendo emprego por tudo quanto é lado. Isso é ruim, mas é bom para os tarados que ainda têm algum dinheiro no bolso. Tenho 40 anos, solteirão, fiz musculação, não tenho barriga e meu pau tem o calibre suficiente para tocar no útero da maioria absoluta das mulheres com quem saio.

Ganho razoavelmente, acho que qualquer dia desses meu emprego vai voar também, mas até lá, sigo comendo gente. As cafetinas de melhor nível de minha terra me conhecem há tempo. Conheço alguns dos bons programas do Rio e de Sampa, mas estou longe dessas terras abençoadas com tantas lindas mulheres.

Onde vivo, puta bonita é artigo meio raro. Mas, numa tarde dessas, aterrissou no meu colo uma loira de 20 anos, 1,70 m, seios firmes e médios, cabelos longos, pernas bem feitas, cintura de pilão e uma carinha bonitinha com olhos frios e angustiados que lembrava longinquamente Charlotte Rampling.

Levei-a a uma suite de motel relativamente barato. Aliás, em minha terra não há motéis de luxo (que saudades daquele motel do Morumbi que é anunciado nas revistas! É lindo, gente - mas isso é outra história, da noite de Sampa, que começa no Massimo's...).

Terra pobre, tarado gastador e chato. A menina começou a chupar meio sem jeito. Expliquei a ela que uma mulher não deve ter medo de ter um pau na boca e que eu demoro muito a gozar. Não iria lançar sem aviso um jato de esperma em sua garganta.

Disse que ela tinha de engolir toda a cabeça e massagear o início da cabeça com os lábios. Ela passou a chupar com habilidade crescente (disse ser esse seu quarto programa - ela parecia tímida e constrangida, de fato...). Mulher que gosta de chupar diz que só tem graça chupar pau grande. O meu tem 19 cm e é grosso.

Literatura barata, à parte, quando pedi que a gata engolisse o máximo que podia e o pau tocou fundo em sua boca, ela literalmente vomitou no travesseiro. Foi excitante assistir essa demonstração de virgindade de sua garganta. Ela chupou até cansar. Uma meia hora pelo menos. Ofereci mais dinheiro para gozar em sua boca.

Ela pegou danoninho no freezer, derramou o danoninho no pau e passou a chupá-lo e a lamber o danoninho no saco. Extremamente excitante. Não gozei. Economizei, por enquanto. Ela passou a transar por cima. Ela de início se movimentava apenas verticalmente, metendo e se levantando.

Fiz com que ela colocasse os pés na cama, se arreganhando toda e levando o pau até tocar no útero e minhas bolas baterem em sua bundinha. Ela passou a se movimentar lateralmente. Ela é uma mulher fria e ambiciosa. É o melhor tipo de putinha. Vai fazendo a coisa de modo a agradar o macho para ver se ele repete a putaria.

A última que tinha saído comigo tinha gozado tanto que segurou o lençol. Eu prefiro para ter prazer uma fria. Uma assanhada que gosta de pau no útero faz bem ao meu ego - mas mexe muito rápido e eu gozo mais rápido.

A fria faz a coisa num ritmo mais lento, mais massageante do pau. É delicioso foder bem uma mulher fria. Passei a ficar por cima e fui fodendo-a nas diversas variações do bom papai-e-mamãe. Essa é a posição para homem que sabe foder bem.

Fui abrindo as pernas dela, pedindo para ela jogar a boceta mais para a frente. Era estranho o que ela fazia com o rosto: virava de lado, para não ver o que acontecia. Era como se seus olhos e seu cérebro não quisessem testemunhar o que acontecia com seu corpo.

Ela ia fazendo minhas vontades: colocou as pernas atrás de minha bunda, estirou as pernas para cima, com as canelas ao lado de minha cabeça. Eu enfiava e retirava tudo. Fizemos isso tudo por uns 45 minutos.

Quase uma hora de fodelança. Quando senti que ia gozar, perguntei a ela se ela queria os 50 para me deixar gozar em sua cara. Ela topou. Cobriu os cabelos com a toalha e eu tirei o pau da boceta, toquei rapidamente uma punheta ligeira e gozei, enquanto ela estirava a língua.

Gozei e vi o esperma se espalhar pela maçã direita de seu rosto, pelo queixo... Marcamos outro programa, sem comissão da cafetina. Devemos jantar em um restaurante fino de hotel. Ela deve ir de saia escura e blusa clara e fina, sem soutien. Vou fodê-la depois e gozar de novo em seu rosto ou dentro de sua boca....

Conto erotico recebido por email - autor anônimo

Antes do Fim do Filme

Nossos papos pela Internet sempre eram calientes. Às vezes me mostrava para ele através da webcam. Mostrava seios, bumbum, enfim meu corpo, mas não totalmente nu. Era mesmo apenas para assanhar sua imaginação. Maurício, alto, olhos muito verdes e o mais gostoso de tudo... insaciável!!

Do jeito que gosto bem tesudo! Combinamos então de nos encontrar num shopping perto para ambos e íamos ao cinema. Quando nos vimos, foi tesão no primeiro impacto. Eu vestia saia de elanca, túnica e saltos. Ele camiseta e jeans. Maurício se aproximou e logo de cara me tascou um beijo! Enfiando sua língua na minha boca. Obviamente correspondido! Que boca gostosa!

Nesse instante senti meu corpo tremer, ele percebeu e disse:

- Vamos minha gostosa! Entramos no cinema e nos sentamos, nossos beijos eram tesudos e sentia minha xotinha molhar. E pelo volume na calça, percebia que seu pau iria saltar pra fora! As luzes apagaram e foi uma delícia perceber que ninguém havia se sentado na nossa fileira. Adorei.

Maurício então começou a percorrer meu corpo, suas mãos firmes e macias eram umas delícias! Elas caminhavam por meu colo, seios, pernas... A essas alturas minha saia já havia subido. Ele passou levemente sua mão na minha xotinha... ele se arrepiou ao sentir que estava encharcada e falou baixinho:

- Se você não quiser ir ao motel comigo agora, eu te como aqui mesmo! Não pensei duas vezes e disse que sim!

Nos levantamos e o filme mal tinha começado... E fomos com o carro dele, entramos no primeiro motel que apareceuNa garagem ele já ia me bolinando a bunda, os seios, me beijava com muita vontade e tesão! Um verdadeiro tarado! Subimos à escada e lá tomei a iniciativa. Tirei-lhe a blusa e o encostei na parede, baixei sua calça e cueca. Olhei seu pau... hummmm que delícia, que cabeça gostosa, rosa e molhada. Seu pau estava muito duro, muito mesmo!

Caí de boca e comecei a chupá-lo. Suguei muito, punhetava, beijava as bolas, olhava pra ele com desejo sentindo seu cacete dentro da minha boca! Que gosto ele tinha! Não conseguia parar de sugá-lo, fazia movimentos de vaivém e por dentro mexia minha língua. Mal gemia e dizia que minha boca era uma delícia, que nunca tinha sido chupado daquele jeito... Daí começou a foder minha boca.

Eu simplesmente amei! Logo depois ele me levantou, beijou minha boca e foi me levando até a cama, lá arrancou minha saia e calcinha. Olhou minha xotinha lisinha e disse: - Humm que xota mais cheirosa e apertada! Será que agüenta meu cacete? Respondi:

- Não vejo a hora! Mal começou a chupar minha xaninha, me deixando ainda mais louca.

Passava a língua no meu grelinho, depois enfiava a língua, também lambeu meu rabinho... Eu estremecia de tanto tesão!! Eu apertava sua cabeça contra minha xaninha, então disse a ele que ia gozar! Ele aumentou o ritmo e enfiou o dedo no meu cuzinho...

Gozei feito uma puta! Mal continuou sugando meu mel... e gemia ao mesmo tempo.Aí ele se levantou arrancou minha blusa e soutien e chupou, mamou meus seios. Isso sem tirar os dedos da minha xana. Ele subiu no meu corpo e enfiou seu cacete gostoso e duro no meio dos meus seios... que gostoso!!!

Bruscamente ele me virou de quatro, puxou meus cabelos e enfiou seu pau duro na minha xotinha encharcada. Gritei de tesão (amei essa pegada). Mal começou a bombar muito forte. Eu estava alucinada de tanto tesão, rebolava, empurrava meu corpo contra o dele. Mau fodia minha buceta e batia com suas mãos grandes e gostosas na minha bunda. Então ele diminuiu o ritmo e enfiou um dedo no meu cuzinho.

Na verdade era o pau na minha xota, um dedo no rabinho e outro no grelinho. Nunca havia sentido tamanho tesão, então disse que ia gozar no pau! E gozei! Gemi, gritei de tanto tesão! Mau me virou, colocou uma almofada embaixo do meu bumbum e me disse: - Sua buceta é uma delícia, mas quero seu rabinho!

Eu respondi abrindo as pernas pra ele. Mau, então, foi enfiando a cabeça do seu pau no meu cuzinho apertado... que tesão!! Seu rosto era puro desejo e tesão! Ele gemia enquanto seu pau entrava em mim! Por fim seu pau entrou! Estava muito duro e eu sentia pulsar lá dentro! Mal começou um movimento lento, e delicioso... ao mesmo tempo olhava seu pau entrando e saindo, mexendo na minha xaninha. Meu gostoso bombeava gostoso... me comia com volúpia, com desejo.

Eu disse que queria gozar pelo cuzinho e queria que ele gozasse também lá dentro. Mal ficou alucinado e bombeou mais forte até que disse que ia gozar... Eu apertei meu corpo contra dele... e senti sua porra dentro do meu cuzinho...Que delícia! Gozei logo em seguida! Meu tarado tirou o pau de dentro, se deitou, mas continuava duro, então eu olhando aquele pau delicioso, todo gozado, subi em cima dele e comecei a lamber. Maravilhoso o gosto do leitinho dele misturado com o gosto do meu rabinho.

Mal lambia meu grelinho e enfiava o dedo no meu rabinho. Ficamos num 69 delicioso até gozarmos na boca um do outro. Engoli todinha a porra quente! E caímos exaustos na cama. Claro, meia horinha depois foi suficiente para estarmos encaixados de novo!

Conto erótico recebido por email – autora anônima

Com a Lourinha da Faculdade

Oi como esse é meu primeiro conto vou me apresentar, sou branquinho, cabelos morenos, olhos castanhos, 1.78 de altura e 78 kg e me acho muito bonito, mas como não estou aqui para falar de mim vamos à história. Nesse dia acordei com um puta tesão danado, era uma sexta-feira e tinha que ir trabalhar passei o dia inteiro pensando em ligar para alguns rolinhos que tenho para dar uma voltinha Mas não estava a fim de ver sempre as mesmas rachinhas decidi arranjar uma nova.

Quando sai do serviço fui em casa tomei um banho bem gostoso bati uma e fui para a facul sossegado, já no bus quando via alguma gostosinha entrar já tremia só de me imaginar chupando ela bem gostoso. Chegando a facul via mulherada por todos os lados, fui até minha sala e logo sai correndo de lá, pois faço Engenharia Mecânica e na minha sala tem 90 Homens e 1 mulher. Fui até o bar tomar uma cervejinha bem gelada para ver se acalmava meus hormônios mais estava muito difícil.

Foi quando eu vi entrar uma loirinha maravilhosa tinha um corpinho perfeito que logo fiquei de pau duro, quando ela passou por mim deu uma olhada como pagando um pau, pois como eu falei sou bem gatinho. Vi-a passar e se sentar numa mesa que tinha mais 2 lindas meninas e continuei a tomar minha cervejinha dando umas olhadas para aquela loirinha e via ela me olhando de vez em quando.

Como não sou nada tímido fui até elas pedi licença e sentei-se à mesa com elas, elas não entenderam nada mais fui logo me apresentado e comentando que os pessoais da minha sala são aqueles CDF´S e não sai da sala para tomar uma cervejinha, e estava sozinho e queria fazer uma amizade. Elas concordarão e logo foram se apresentando a loirinha que eu já estava de olho foi logo sorrindo e disse que seu nome era Simone tinha 18 aninhos e tava na mesma sala que as outras, que se chamavam Mariana e Gisele.

Fiquei conversando com elas e fiquei surpreso, pois todas me davam a maior atenção para minhas besteiras nisso a loirinha disse que iria voltar, pois tinha que pegar o material na sala porque não iria mais assistir nenhuma aula. Como eu estava interessado nela falei que tb iria buscar o meu (que eu já tinha deixado no carro desde que cheguei a facul). Saímos do bar e entramos na facul, nisso fui conversando com ela quando ela falou.

– Seu bloco não é para lá, eu então puxei ela e falei que queria saber era dela e não do meu bloco.

Então dei um beijo maravilhoso como se nunca tivesse beijado antes nossas línguas no maior entrosamento, ai paramos e me ofereci a ir com ela buscar o material ela aceitou nisso fomos como dois namoradinhos de mão dadas ela chegou a sua sala entrou e pegou seu material e saímos para buscar o meu. Quando cheguei em minha sala fui até um camarada e falei para ele me emprestar o livro, pois tinha deixando o meu no carro e não podia dar brechas.

Quando sai falei se ela não queria ir até o oitavo andar o ultimo que era aberto e tinha uma linda visão de sampa. Ela prontamente aceitou e fomos subindo, chegando lá em cima começamos um esfrega que as minhas mãos iam deslizando sobre seu lindo corpinho.

Quando disse para irmos a algum lugar que podíamos dar um amasso mais forte, lá em cima já não tem quase ninguém, pois sós salas de desenho e só uma sala tava tendo aula, como a escada de incêndio daquele andar é bem conhecido como o motelzinho da facul a levei lá chegando fui logo agarrando ela e dando um beijo maravilhoso foi quando ela começou a chupar minha orelha e fiquei doido, fui puxando sua blusinha e ela estava sem sitiem logo vi aqueles peitinhos que parece uma maça com o biquinho rosa e duríssimo fui passando a língua envolta deles e ela ficando alucinada nisso ela já pegou no meu menino e foi alisando por cima da calça.

Pus uma das minhas mãos por baixo daquela sainha e vi que a calcinha dela estava encharcada afastei um pouquinho e comecei a masturbar ela e punha e tirava a pontinha do dedo e ela cada vez ficando mais alucinada, quando me abaixei e comecei a chupar aquela bocetinha maravilhosa estava lisinha aquele sabor era demais quase gozei só de sentir aquele gosto fiquei chupando por um tempo e logo ela tava se retorcendo e gozando tudo em minha boca.

Chupei sem deixar uma gotinha vazar então me levantei e dei um beijo na boca dela para ela sentir o seu gosto ela ficou que parecia estar possuída então abaixou puxando minha calça e chupando meu pau ferozmente chupou muito mas como eu disse que tinha batido uma antes de ir a facu ia demorar um pouco para gozar foi quando ela se levantou e falou para penetrar ela que já não agüentava mais de tesão.

Como sempre ando com uma camisinha logo peguei ela encapei o menino e fiquei roçando naquele grelinho ela já totalmente descontrolada me segurou firme encostou a cabecinha na portinha e encaixou com muita força que quase gozei nisso começamos um vai vem totalmente sem controle e logo já gozei e gozei muito mais o meu pau não abaixou fiquei dando uns beijinhos nela e ela logo querendo mais

Como não tinha mais camisinha foi no pelo mesmo na hora fiquei preocupado mais depois fui tomado pelo tesão virei ela de costa para mim pus as mãos delas na parede e encaixei com força e fiquei bombando forte que logo ela tava gozando de novo só que ela não parava mais de gozar quando o tirei me abaixei chupei aquele gostinho maravilhoso que ela tinha e molhei sei cuzinho com a sua própria porra na hora comecei a enfiar um dedo naquele rabinho delicioso só para saber a reação dela, mas para minha surpresa e reação dela foi rebolar.

Logo já esta com 3 dedos alargando aquele rabinho para enfiar foi quando ela falou fode meu rabinho bem gostoso que eu adoro dar ele logo puis a cabecinha depois que tava encaixadinho dei um tranco que ela gritou que eu acho que a faculdade inteira ouviu mais há essas horas não tava mais nem ai para os outros fiquei com o meu pau paradinho em seu rabo um tempo ate ela se acostumar.

Logo depois já tava bombando gostoso naquele cuzinho maravilhoso e ela batendo uma siririca nisso já vi ela se retorcer e gozar de novo e ela falava fode o cu dessa putinha fode que eu gosto ele vai ser só seu a partir de hoje, essas palavras me deixarão tão excitado que avisei que ia gozar e ela falou para eu gozar na sua boca foi quando eu tirei ela pós na boca eu já comecei a esporar ela chapava com gosto depois de terminar ela deixou ele limpinho, se arrumamos e saímos de lá saindo pela porta tinha um casal entrando logo começamos abrir e fomos ao banheiro se limpara.

Sai e fiquei esperando ela quando ela saiu só de olhar meu pau já dava sinal de vida falei se ela não queria sair comigo ela falou que tinha combinado de sair com suas amigas mais iria falar com elas quando descemos para o bar ela cochichou com as suas amigas e falou que nos íamos sair todos juntos e adivinha onde fomos os quatro parar mais isso é outra história e depois eu conto.

Conto erótico recebido por email by Ganj Hamen

Comi o Meu Amigo do MSN

Bom galera, esta história rolou tem uns 2 ano já. Durante muito tempo conversei com um amigo na internet, falávamos sobre muita coisa, inclusive sexo. Eu sempre dizia o que rolava comigo, mas sem contar detalhes, e meu amigo Leandro fazia o mesmo.

Leandro é mais novo que eu, tinha na época seus 20 anos e eu tinha 24... Ele sempre me avisava no MSN "estou vendo putaria... vou socar uma já já". Sempre ri das piadas, zoava ele, abria um pornô e socava uma também. O detalhe é que nunca nem eu, nem ele falamos o tipo de filme que assistíamos para bater e gozar.

Certa noite, o chamei no MSN, começamos a trocar idéias, falar besteiras, transferir mp3 um pro outro, até que o Leandro me avisa:

- Achei um vídeo legal aqui!Vou bater uma. - Eu sem imaginar o que estava por vir, disse:
-Opa, manda o link! Quero ver se o seu vídeo é bom!
- Ih cara, nem rola! Ache um para você aí - disse Leandro.

Fiquei sem entender a atitude dele, pois sempre falávamos de putaria e filmes pornôs, porque ele não poderia me mandar o link do filme?

- O Leandro deixa de bobeira, manda aí. Quero gozar também, mas estou com preguiça de procurar um.
- Nem Felipe, você não vai curtir meu vídeo - Fique cismado com o que ele disse, e retruquei:

- Porque eu não gostaria? É sexo com animais? Gente morta? É vídeo gay? kkkk
- OK, vou passar , mas não reclama depois! - disse o Leandro

Ele enviou o link, cliquei para abrir e descobri que o Leandro via os mesmo filmes que eu via: filmes gays!

- Eita Leandro... Filme gay cara! Você curte mesmo?
- De boa, curto sim, você que pediu para ver, não me sacaneia agora
- Sossegado Leandro, de boa...

Não sei o que ele pensava realmente no momento, mas eu fiquei contente e já comecei a ver o vídeo imaginando eu traçando meu amigo, afinal agora eu sabia que ele também curtia! Vi uns trechos do vídeo, fique duraço e chamei meu amigo de novo.

- E aí Leandro? Faz tempo que tu curte cara?
- Sempre curti!
- Não parece cara, to falando de boa!
- Tranqüilo Felipe, não precisa rebolar pra gostar de homem né?
- É sim Leandro, você tem razão.

Passamos alguns momentos em silêncio, eu precisava dar um passo na conversa!

- Me fala uma coisa Leandro. Você já pegou muitos caras?
- Não Felipe, poucos, nem sou de sair muito.

Fique ali no quarto, pensei , pensei e achei uma forma de dizer que eu também curtia. Entrei no site pornô, escolhi um vídeo e mandei para ele ver.

- Leandro pega esse link....Achei esse vídeo mais da hora do que o que você me mandou!
- Ahushaushau lá vem piada com minha cara né, vou abrir.

Fique ali na frente do PC, tenso! Esperando ele dizer algo. Logo vejo no MSN que ele estava digitando.

- Caralho Felipe! Você também curte cara?
- Curto sim Leandro Como tu se abriu e falou... Resolvi falar também
- Muito bom o vídeo que você me mandou hein? Tô de pau duro aqui... Quer ver?

Pensei, pensei...

- Bora... Deixa eu ver
- Beleza, mas quero te ver duro também! Abre sua cam.
- Ok. vou ligar.

Ligamos a cam... Ríamos sem graça um para o outro, então ele abaixou a cam em direção ao pau e eu também. Meu amigo estava muito duro, um pau grosso, babando já... Ele batia e me mostrava a baba do pau dele. Eu fiquei louco de tesão, comecei a bater mais forte...Ele elogiava meu pau dizendo:

- Cara! Que pau lindo que você tem Felipe! Seu saco, nossa.... Quero te chupar, topa? - disse o Leandro

Fiquei meio perdido na hora, mas topei. Já era tarde, por volta de 1 hora da madrugada, mas o tesão era muito.

- Felipe? Tem moral de vir aqui em casa agora?
- Agora Leandro? Seus pais estão em casa não estão?
- Estão sim, mas dormindo. O quarto deles tem a janela voltada para o quintal..Eu te chupo aqui na garagem, ninguém vê.
- Beleza... To muito louco de tesão cara.

Fechei o MSN, esperei o pau dar uma amolecida para fechar a calça, e saí em direção a casa dele. Lembro que era essa mesma época do ano, estava frio, eu cheio de roupas, caminhando na madrugada pra chegar até a casa do Leandro. Saí de casa sem bater o portão para ninguém ouvir.

Quando estava a uma quadra da casa dela, moramos perto, liguei para o celular e avisei que estava quase lá. Bem de frente para casa, o Leandro abriu um fresta do portão e gesticulou para que eu entrasse. Eu estava nervoso, era um mistura de pânico com tesão, meu pau ficou duro dentro da calça durante a caminhada, só de pensar no que iria rolar em alguns minutos.

Entrei na casa dele, tudo em silêncio, e nos ajeitamos atrás do muro, não tinha como alguém ver a gente ali, só tínhamos que ficar quietos.

- Leandro, que louco isso! Não acredito que vamos fazer isso mesmo.
- Eu também estou achando estranho Felipe... Mas vamos relaxar

Ele puxou minha cabeça, encostamos os lábios um no outro e começamos a nos beijar. Eu perdia o fôlego rápido de nervoso que eu estava, mas o tesão só aumentava. Aquele beijo estava sendo o melhor de todos até aquele dia na minha vida. A barba por fazer do Leandro esfregando na minha barba, e o beijo não terminava, alisávamos o rosto um do outro, e beijava de novo, Leandro se afastou e disse:

- Porra cara., que tesão que eu estou!

Voltamos a nos beijar... Grudei o corpo dele no meu, coloquei a mão da bunda dele e puxei ao meu encontro, estávamos de pau totalmente duro, a gente se agarrava com força Coloquei as mãos por baixo da camiseta dele, estava frio, ele arrepiou todo, alisei o peito dele, deslizei nas costas, enfiei as duas mãos na calça dele e apertei a bunda do Leandro...que bunda gostosa!

Subi minha mão nas costas dele novamente, ergui a camiseta e comecei a beijar o peito dele... sua barriga....subi para a boca novamente....dei um passo para trás para observar...desci a calça do pijama dele...a cueca branquinha dele, tipo sunga, já molhada, ele tava louco de tesão...

- Me deixa conferir ao vivo agora Leandro
- Vai Felipe... vai

Botei a mão no pau dele por cima da cueca, puxei o elástico e enchi a mão! O pau dele todo babado, escorregando na minha mão, ele me agarrou e me beijou, enquanto abria minha bermuda... o tesão estava a mil..Eu batia punheta pro Leandro e ele me beijava com tesão... Até que ele me empurrou baixou minha cueca de uma vez só e pegou meu pau!

Segurou firme. começou a punhetar bem lento, e beijava, beijava...Ele alisava meu pau, meu saco, mordia meus lábios....eu fazia o mesmo com ele, Leandro parecia que ia gozar a qq momento...e eu estava me segurando muito pra não gozar, mas estava difícil segurar.

Nos abraçamos, nossos paus se tocaram, ficamos esfregando um no outro em quanto nos beijávamos... Ergui a camiseta dele e a minha para que nosso corpo tivesse mais contato... Leandro cortou o beijo....alisou meu pau com a mão e ajoelhou....me encarou, punhetou um pouco e começou a me chupar!....Eu explodi de tesão essa hora. Meu pau já estava todo melado, e ele me chupando com gosto. lambia cada parte, beijava minhas bolas, engolia de novo meu pau....

Pedi pra ele abrir bem a boca, segurei sua cabeça e comecei a foder a boca dele... meu pau tem 20 cm, ele não agüentou e logo tirou a boca...e voltou a chupar devagar e com gosto.Eu estava quase gozando....

- Vou gozar... calma.......deixa eu te chuparrrr também

Leandro se levantou e eu me ajoelhei...

Ajoelhei na frente do Leandro e me preparei, era o meu amigo de pau duro na minha frente... não fiz cera não...cai de boca logo!Chupava ele com gosto, sugava a cabeça do pau dele, melada... sentia o gosto do pré-gozo dele na minha boca...ele tinha o prepúcio grande...e era um delicia chupar, lambia tudo, massageava o saco dele quanto lambia a cabeça do pau ....ele gemia e apertava minha nuca em direção ao seu pau...a rola do Leandro não era tão grande, tentei botar tudo na boca...respirei fundo e engoli...senti os pentelhos dele bateram na minha boca e nariz. Ele gemeu alto e deu um tranco, eu engasguei kkkkkk.

Punhetei ele enquanto recuperava o fôlego, e voltei a lamber a cabeça do pau dele, corri para o saco, lisinho, sem pelos... bolas grandes... Eu lambia o saco dele e punhetava gostoso... virei ele de costas e beijei a bunda...ele puxou minha cabeça pela nunca e esfregou minha cara bem no meio da bunda ....abri a boca e dei uma lambida no cuzinho do Leandro...na mesma hora ele se arrepiou todo.... Fiquei ali, massageando o saco dele, e dando lambidas no cuzinho... enquanto me punhetava com a outra mão..

Levantei e deixei ele de costas para mim ainda. comecei a esfregar meu pau na bunda ele....encaixava e simulava uma metida...que tesão!!!Ele voltou de frente pra mim, me punhetou, me beijou, disse que tava adorando e me virou de costas. suas mãos se esfregavam no meu peito, enquanto sua rola roçava minha bunda...tava muito bom aquilo tudo...ele abaixou, abriu minha bunda e meteu a língua....fui ao céu..que tesãooooooooooo

Eu me punhetando enquanto o Leandro chupava meu cuzinhooo... Virei de frente para ele outra vez e meti a vara na boca dele...ele chupou e eu quase gozei pela segunda vez....já não agüentava mais segurar...queria gozar logo. Foi quando o Leandro levantou,.virou de costas para mim, se esfregou em meu corpo...e sussurrou :

- Me fode Felipe... vai me fode!

Encoxei o Leandro, fiquei roçando meu pau na bunda dele... tava muito duro....ele se curvou e apoiou as mãos em um vaso perto da gente, eu cuspi na mão e passei no cuzinho dele...lambuzei....e forcei um dedo....as pernas do garoto deram uma tremida nessa hora.Fiquei fazendo um vai e vem com o dedo, enquanto ele se punhetava...

Depois de alguns minutos assim... Cuspi no meu pau... e comecei a esfregar o pau na entrada do cuzinho do Leo, eu tava com muito tesão, quase gozando só de começar a penetrar.Tava indo devagarzinho...forçando aos poucos...respirando para não gozar ali, de tanto tesão que eu tava.

Nessa hora Leandro levantou o corpo e trouxe perto de mim, e meu pau entrou todo de uma vez só, as pernas do meu amigo ficaram moles e ele segurou em mim gemendo... foi tudo...curvei ele de novo em direção ao vaso, para ficar de quatro, e comecei a bombar...não demorou muito para gozar, eu tava muito ,muito excitado.

Travei-o bem junto ao meu corpo... nós dois em pé...eu esfregando minhas mãos no peito dele...comecei a gozar, dava trancos dentro dele....o Leandro gemia...e apertava o pau enquanto punhetava...Gozei tudo dentro....e tava com tesão ainda....cada vez que penetrava e sentia meu pau arregaçar dentro do meu amigo, eu ficava ainda mais louco...continuei bombando

Leandro me chamou e disse que ia gozar... Inclinou seu corpo sobre o meu, apontou o pau lindo dele para a barriga e jorrou jatos de porra... muitosssss muitosssseu com o pau dentro dele, ajudei ele a punhetar...ele tremia todo.......tirei meu pau do cuzinho do Leandro, e chupei aquele pau gozado do meu amigo...delicioso....

Levantei, e nos beijamos de novo... Enquanto isso nossos corpos se grudavam de novo...se esfregava, o pau do Leandro e o meu já foram ficando moles depois da gozada...e mesmo assim um ficava pegando no do outro ainda. Leandro subiu a cueca... começou a rir....

- Que foi cara? Porque tá rindo?
- To sentindo sua porra escorrer... que tesãooo...mas é engraçado

Comecei a rir também. já estávamos vestidos...juntei ele na parede e demos outro longo beijooo Já estava muito tarde... E tinha que voltar pra casa... saí devagar da casa, e voltei correndo pro meu ninho. Cheguei em casa e bati uma ainda só de lembrar, tinha sido muito bom... Antes de dormir abri meu MSN, tinha um recado do Leandro "Adorei, muito bom mano... vamos repetir"... Respondi na hora "vamos sim... nos falamos amanha... boa noite”.

Conto erótico recebido por email by Felipe

Minha Cunhadinha

Eu sou casado e tenho 21 anos, mas o que irei contar aconteceu ano passado, eu me chamo Rodrigo e tenho 1,75 de altura, olhos verdes, cabelos castanhos curtos e sou fofinho. Eu e Cláudia (Minha esposa) éramos muito naturalistas, andávamos nus pela casa, até que um dia o telefone tocou e a Cláudia atendeu e me disse que a irmãzinha dela (18 anos) iria passar alguns dias na nossa casa devido a uma briga dos seus pais.

Até ai, normal, pois eu a via como uma irmã, prima, e nunca tive pensamentos maliciosos dela. Bom, ela veio na nossa casa lá por volta das O6 horas da tarde e não imaginava que nos andávamos pelados pela casa então resolvemos nos vestir, quando eu a vi, caiu o meu queixo. Com 1,70 de altura, cabelos castanho claros, liso e a altura dos ombros seios pequenos e empinados, bundinha saliente e empinada, um tesão, mas ainda não pensava em come-la.

O dia passou e a Cláudia e eu zoávamos muito, ela dizia a Suelen (minha cunhadinha) que eu tinha amado ela, estava a fim de beijá-la e tal. De noite Cláudia tinha que fazer um trabalho para a faculdade e tinha que viajar e iria voltar 2 dias depois, como ela ia só com umas amigas eu fique tranqüilo, e disse para eu cuidar da Sú (era como nós a chamávamos) e disse para ela.

— Cuidado com ele, quando acorda já pensa em fazer sexo.

A Sú tinha ficado vermelha e eu falei baixinha para a Cláudia parar de fazer essas brincadeiras com a menina, pois ela pode pensar mal de mim...

A noite seguiu tranqüila, eu e a Sú ficamos conversando e percebi que ela era muito cabeça, manjava bastante de várias coisas e ficamos conversando até umas 11 h. e ela disse que estava com fome, ai eu resolvi fazer a janta, resultado: arroz mingau, feijão queimado e bife torrado, até que ela disse,

— Vamos pedir uma pizza.

Nós resolvemos ir comprar a pizza, pois ai alugaríamos uns filmes etc. Compramos a pizza e quando eu perguntei para ela o que ela iria beber ela disse:

— O mesmo que você, eu perguntei se os pais dela a deixavam beber, ela abaixou a cabeça e disse que não, eu fique chateado e disse que como os pais dela não estão por perto ela poderia tomar o que quiser..., então, fomos até a locadora e alugamos uns filmes e eu peguei um pornô, pois eu não iria agüentar 2 dias sem a Cláudia...

Chegando em casa, a Sú preparou a mesa enquanto eu tomava banho, e quando tomo banho eu largo a porta aberta, pois tem box de vidro no banheiro e se a alguém quisesse fazer as necessidades podia entrar, mas aquela noite estava quente e eu tomei banho frio e o vidro não ficou embaçado, pouco tempo depois a Sú entra no banheiro para mijar e quando ela viu o meu membro arregalou os olhos e ficou vermelha, eu percebi ela no banheiro, virei imediatamente, ela se explicou e eu disse que tudo bem, ela se sentou no vaso. Não sei se por tesão ou curiosidade olhei para ela estava que estava arriando as calças e vi a sua xoxotinha. E que xoxota! Ela percebeu que eu estava olhando e se virou de costas, pude então ver sua bundinha,.

Fico de pau duro só de lembrar... Ela acabou o que tinha que fazer e eu fui me trocar, quando eu sai ela estava meio alterada, parecia bêbada. Nós comemos e ela desmaiou no sofá, então a carreguei para o meu quarto e a coloquei na minha cama. Depois fui para a sala, comecei a beber e dormi no sofá . De manhãzinha fui tomar um banho, pois estava cheio de porra no meu pau e achei que fosse por causa do filme pornô, me sequei e sai do banheiro pelado, por que tinha esquecido da Sú. Quando eu entro na cozinha encontro ela sentada tomando um copo de leite, nuazinha também, essa cena me deixou de pau duro na hora e eu não tive reação, ai ela me disse:

— Caramba você já acorda de pau duro, bem que a Cláudia tinha Razão.

Nisso ela derramou o leite de propósito bem nos seus peitinhos, e o leite escorreu até a sua xoxotinha e ela falou para eu pegar algo para ela se limpar ai eu não pensei duas vezes, fui lá e comecei a mamar aqueles peitinhos , lambendo sua barriga até chegar na sua xoxota e ela gemeu.

— Finalmente eu vou sentir o seu caralho na minha bucetinha, pois na minha boca de madrugada foi ótimo.

Ai quando eu ouvi isso fiquei doido, a beijei na boca e carreguei-a até o meu quarto. A joguei na cama e ela me disse.:

— Vem aqui meu macho, sacie a sede da sua fêmea.

Eu parti para cima dela e comecei a tentar enfiar na sua bucetinha, ela começou a urrar de prazer rebolando até que ela me empurrou e ficou de quatro e disse:

— Na bucetinha eu posso engravidar, meta no meu cuzinho, me possua por inteiro.

Quando eu ouvi isso acabei gozando tudo na rodinha dela e a mandei chupar a minha pica até eu ficar em ponto de bala, quando eu estava quase gozando a pus de quatro e a rodinha dela ainda estava melada de porra. Dei uma penetratinha na bucetinha para lubrificar e fui colocando minha pica devagarzinho no seu cuzinho, sem agüentar mais enfiei tudo de uma vez, ela soltou um grito e eu dei uma parada ai ela disse:

— Continua seu puto, come sua putinha.

Eu não agüentei, fui estocando socando em um vai e vem frenético, até que nós gozamos juntos e voltamos a dormir abraçados e ansiosos por outra foda daquelas

Conto erótico recebido por email – autor anônimo

Comi a Gordinha no Final da Noite!

Sempre gostei de ler contos eróticos e tive vontade de falar sobre algumas de minhas aventuras, nos contos eróticos que li descrevem as mulheres gostosonas boazudas parece até mentira, bem vamos ao que interessa: Trabalhava em uma empresa sempre até a meia noite. Em uma destas noites o funcionário que fazia o turno seguinte atrasou e eu tive que sair correndo para pegar o ônibus, pois este era o último da linha. Quando estava dobrando a esquina vi que o havia perdido.

Puto da vida fiquei sem ter o que fazer, então decidi comprar uma cerveja e esperar um moto táxi, depois quase duas horas apareceu um, fui embora e quando cheguei em casa não tinha ninguém. Meu irmão do que mora junto comigo tinha viajado, tirei o sapato e a roupa, quando eu ia tomar banho o telefone tocou. Atendi e era uma mulher que tinha ligado por engano, começamos a conversar e disse a ela que estava só.

Perguntei coisas sobre ela e em determinado momento disse que eu estava pelado pois iria tomar um banho. A safadinha , então, perguntou se eu não queria ir tomar um banho na casa dela. E assim , lá fui eu atrás de outro moto táxi. Antes de ir para a casa da garota passei em uma farmácia e comprei umas camisinhas para me preparar.

Assim que cheguei no seu prédio falei com o porteiro que me comunicou que a garota estava me esperando e eu poderia entrar. Logo que dei alguns passos fiquei um pouco com vergonha e pensei em dar meia volta e desistir mas naquele momento já era tarde pois assim que entrei no prédio vi uma mulher gordinha , um pouco feia e usando um roupão. Pensei comigo mesmo que tinha entrado em uma enrascada pois a mulher era um baita tribufu. Mas já que estava lá mesmo...

Entrei no apto sentei no sofá e ela perguntou se eu não queria beber ou comer algo, falei que não, Ela colocou uma musica ,sentou ao meu lado e começamos a conversar. Seu perfume juntamente com sua educação e gentileza substituíam sua beleza, então começamos a dançar e meu pau começou a endurecer. Minhas mãos começavam a percorrer seu corpo e acabamos deitando no sofá iniciando um amasso com beijos quentes, tirei seu roupão e ela estava de baby dool por baixo.

Eu estava com tanto tesão que quase gozei ,tirei toda sua roupa e comecei a beijá-la descendo até seus peitos que por sinal eram enormes. Chupei com avidez e eles mal cabiam na minha boca, desci mais ainda até chegar na buceta. Que bucetão! Chupei a inteirinha até ficar com a língua dormente ,ela estava tão excitada que o liquido escorria. Então ela pegou meu pau meio desajeitada, parecia até que nunca tinha feito boquete. Botei a camisinha e enfiei naquela buceta úmida e sedenta.

Coloquei-a de quatro e fiquei admirado com o tamanho de sua buceta. Ela era enorme meu pau entrava e saia fazendo um barulho. Eu empurrava com força até que ela gozou gemendo alto. Acho que naquela noite a gordinha gozou umas três vezes. Assim que eu gozei descansamos alguns instantes e fomos tomar um banho. Lá no banheiro começou o esfrega esfrega, ela ficou de cócoras e pagou um boquete, chupou meu pau até o fim . Quase botando as minhas bolas na boca, dessa vez gozei na boca dela...

Está história é verídica e caso você mulher que esteja lendo este conto for feia ou gorda eu estou por aqui pra fazer tudo com você!!!

Conto erótico recebido por email – autor anônimo

A Bundinha Apertada da Priminha

Minha mãe tinha contratado uma empregada nova, e coincidiu com a fase em que eu me masturbava todo dia. Um dia, vi que a safada estava me observando, mas mandei ver. Gozei pensando na buceta de Marta, a empregada que iria traçar de qualquer jeito. O problema era que eu tinha mais três irmãos meio tarados, e sempre um atrapalhava a foda do outro.

O clima em casa ficava de cio completo quando nossas primas vinham nos visitar. Mas eu não estava nem aí para as priminhas. Queria mesmo era traçar Marta, uma mulher tesuda e com lábios carnudos. Na segunda vez que ela me flagrou numa masturbação, foi mais ousada:

-Conheço um jeito melhor de fazer isso...

Entrou no meu quarto, encostou a porta, pegou meu cacete e começou a chupá-lo. Segurei aquela gostosa pelos cabelos e comecei a cadenciar os movimentos. Era como foder em uma buceta, mas com uma língua maravilhosa atiçando a cabeça do pau. Quando gozei, segurei firme a cabeça de Marta e enchi sua boca de esperma. Ela engoliu tudinho, e nem levantou a cabeça para ver minhas condições.

Continuou o boquete, até meu cacete endurecer de novo. Quando ela sentiu o pau latejando, disse que tinha uma surpresa para mim então tirou a saia, a calcinha, ficou de quatro e perguntou:

-Enche meu cuzinho com esse mesmo leite quente, enche?

O cacete demorou um pouco a entrar, pois seu buraquinho era muito apertado. Somente quando lambuzei a vara na sua xota, a penetração ficou mais fácil. Comecei a foder gostoso no cu daquele mulherão, e percebi um barulho na porta.

Não vi direito, mas dava para notar uma movimentação de mulheres. Eram as primas. Cinco dias depois dessa trepada inesquecível, Marta me chamou. Minha prima mais nova, que acabara de fazer 18 aninhos, estava a fim de fazer à mesma coisa comigo, pois tinha visto tudo pela fresta.

Fiquei eufórico! Marta organizou tudo e até me aconselhou a ir com calma, para não arrombar a priminha. No dia e horário combinados, Marta iniciou um boquete. A priminha já estava no ponto e quando chegou, estava sem jeito, meio vermelha. A empregada tarada rapidamente resolveu aquilo:

-Ei, você, fique ali ao lado dele e comece a tocar uma punheta, vamos.

Quando eu estava doido de tesão ela mandou a priminha tirar a roupa. Marta me olhou e piscou o olho. O resto você já sabe como fazer. E saiu, me deixando sozinho com a prima ainda virgem. Fechei os olhos e mandei a priminha chupar meu cacetão.

Ela começou meio timidamente, mas logo pegou gosto e mamava como uma veterana. A priminha já estava toda excitada. Tirei o cacete de sua boca, coloquei-a de bruços na cama e passei a lamber seu traseirinho. Quando encostei a cabeça no seu orifício, ela deu um suspiro. Mandei ver na priminha!

Ela soltou um grito quando a cabeça atravessou seu rabo e pediu que eu tirasse, porque estava doendo muito. Mas eu já estava quase gozando, louco de tesão. E fiz o contrário. Enterrei a piroca até o fundo. A priminha começou a chorar, dizendo que doía muito. Só tive forças para dizer que ela agüentasse, pois já estava quase gozando.

Dei mais algumas estocadas, a priminha chorando um bocado. Gozei abundantemente dentro do rabo virgem e apertado. Depois de inundar seu cu de esperma, continuei a meter com força, e ela parou de reclamar. Dei umas palmadinhas nas nádegas e perguntei

-Agora está gostando, sua puta.

A priminha passou a gemer e depois gozou mais que eu. Depois desse dia passamos a transar com maior freqüência até que ela arrumou um namorado e me abandonou ...

Conto erótico recebido por email – autor anônimo

Virei Uma Travesti Gostosa e Safada II

Eu estava sentada na poltrona no sofá quando ouvi o interfone tocar! Finalmente meu cliente tinha chego. Este já era meu conhecido e como sempre cumpria o horário de forma pontual. Olhei em volta conferindo se estaria tudo no lugar e sorri orgulhosa. O quarto estava muito bonito com uma luz suave, legião urbana nos CDS e um incenso soltando um leve aroma de canela no ar.

Olhei-me no espelho e gostei do que vi. Achei que estava muito bonita, neste instante fiz as contas e calculei que já fazia um ano que estava fazendo programas e na minha aparência, cada vez mais modificada pelos hormônios, percebi que fisicamente não tinha nada que lembrasse um homem. Minha transformação em mulher estaria quase completa se não fosse o pênis que sentia pressionado em minha calcinha minúscula por baixo do vestido de algodão.

Ouço a campainha, ele já estava na minha porta. Olhei uma ultima vez virando de lado e admirando minha parte preferida no espelho, havia aprendido um truque feminino que ao usar sapatos altos ele deixava minha bundinha ainda mais empinadinha. Abri a porta e ele entrou me dando um selinho nos lábios. Já conhecendo o caminho ele entra e eu o convido para sentar, sem demonstrar muita cerimônia já vem me beijando a boca e alisando meu corpo.

- Você tá muito linda! Hoje eu vou me acabar, quero beijar toda esta bundinha. – disse ele em meu ouvido me deixando toda arrepiada.

Seus lábios beijam meu pescoço e com as mãos ele desce as alcinhas de meu vestido. Sem tirar meu sutiã ele o abaixa apenas liberando o biquinho de um dos meus seios. Sua língua brinca de um lado para outro, de cima para baixo, alternando entre linguadas e mamadas como se quisesse tirar leite de meus peitos. Sinto um calor subir pelo meu corpo, vou ficando com tesão e acaricio seu pau por cima da calça social. A dureza mostra o quanto ele esta desejoso por sexo. Uma vontade louca de te-lo em minha boca me invade.

- Estou louca para sentir o teu pau na minha boca. Deixa eu chupar essa delicia? – Peço ao meu macho.
- Claro, estava com saudades dessa sua boquinha – ele vai dizendo enquanto abaixa suas calças e cueca.

O cheiro de sua porra , vazando de tanto tesão, me deixa com água na boca e o engulo de uma só vez. Passo a sugar, primeiro lentamente, enquanto acaricio suas bolas aplicando uma leve pressão. Sei que ele adora quando o massageio seu saco e seus gemidos me estimulam a fazer aquilo com mais afinco... Não demora muito e sinto sua porra se despejar sobre minha língua em abundancia. Ou fazia tempo que ele não transava ou ele sentiu um tesão incrível na minha chupada. Engulo tudo o que posso até deixá-lo limpinho. Terminado o primeiro tempo o convido para irmos até minha cama.

Ele termina de tirar toda a sua roupa e eu fico apenas de calcinha, mas ele não demora a tirá-la. Ao ver que estou com o membro duro o masturba sem muito jeito. Sei que ele não curte muito tocá-lo, mas diz que também quer me dar prazer. Às vezes penso como um homem procura um travesti se não gosta de cacete. Talvez não tenha coragem de admitir ou sua vontade esteja escondida sobre um manto de preconceito e machismo. O verdadeiro prazer não tem sexo e hoje tenho noção que todo homem gosta ou gostaria de transar com um travesti.

Ele me coloca na sua posição favorita: comigo de quatro na beirada da cama toda oferecida a ele. Sua boca beija minha bunda e suas mãos as apertam com vontade.

- Que bundinha gostosa você tem... Que delicia...

Sua língua acaricia meu anus até deixá-lo molhadinho e melado. Ofereço uma camisinha e um gel para lubrificar ainda mais seu pau. Ele usa os dois e começa a penetrar. Vou sentindo aquela ferramenta dura e latejando me preencher toda. Quando seus pentelhos encostam na minha bunda. Coloco as mãos para trás e puxo ainda mais seu corpo de encontro ao meu. Que delicia é ser comida por uma pica gostosa como a dele. Ficamos nesta posição por alguns instantes e vou por cima dele cavalgando como uma amazona. Antes de gozar ele tira seu pau para fora e me pede para fica de joelhos em sua frente. Seu pau goza explodindo em meus seios, aproveito para espalhá-los por eles.

Ele deita na cama ofegante e dizendo que eu estou cada vez mais gostosa. Logo o tempo combinado se esgota e ele vai embora se despedindo como entrou com um selinho em meus lábios.

Não disse anteriormente, mas o programa é cobrado adiantado e depois que ele vai embora vou guardá-lo em lugar mais seguro. Olho para o bolo de notas e fico alegre, o dia tinha sido proveitoso e superara as minhas expectativas.

Tomei um longo banho me deixando novamente limpa e cheirosa. Minha popularidade havia aumentado e vários homens estavam procurando meus serviços. Eu sou branquinha, tenho cabelos loiros naturais, olhos verdes e corpinho de ninfeta: sou magrinha e cheia de curvas. Algumas naturais e outras reforçadas pelos hormônios femininos que tomo constantemente.

Sentada em minha cama penso como parece que foi ontem que sai de casa expulso pelos meus pais ao descobrirem minha condição sexual. A decisão acertada de fazer programas aconteceu naturalmente e me faz ganhar um bom dinheiro fazendo o que eu gosto. Alguns homens desejam que eu seja passiva, mas a maioria gosta mesmo é que eu os coma bem gostoso. Talvez seja melhor para eles serem comidos por um homem com corpo de mulher. Se vocês soubessem a quantidade de homens casados que me procuram... E eu adoro atender todas as suas fantasias, realizar os desejos que com as mulheres não conseguem cumprir...

Este é o segundo relato de minha vida como travesti. Hoje tenho 20 anos e não troco por nada a vida que tenho. Moro em um apartamento legal, tenho carro, curto baladas nos finais de semana e estou feliz com minha condição de menino – mulher e digo a todos que se têm fantasias com travestis  que a realizem! Vocês irão encontrar um prazer incrível na junção de um corpo masculino e feminino.

Conto erótico por Barbie Sapeca
O primeiro conto desta autora foi : Virei Uma Travesti Gostosa e Safada

Fui Comida na Balada – Parte 2

Por vergonha ou para me fazer de difícil e não ver o gerente que me comeu dentro da casa noturna que começava a freqüentar fiquei sem ir até lá no final de semana seguinte. Passado uns dias de minha transa não agüentei e contei para minha amiga Cristiane o que havia acontecido sem revelar muitos detalhes, pois ainda sentia vergonha por dar para aquele coroa....... Diante de minha confissão, me olhando com os olhos surpresos ela acabou me contando que estava apaixonada pelo segurança que a vi abraçada naquela noite. Ele tinha vinte e cinco anos e era casado mas ficava com várias meninas na casa o que a fazia ter ciúmes dele. Constantemente ele ligava e pedia que ela fosse mais cedo para encontrá-lo mas sempre recusava pois tinha medo de se envolver ainda mais e acabar sofrendo.

A Cristiane , minha companheira de baladas , era muito bonita, morena clara com cabelos levemente ondulados um pouco abaixo do ombro, olhos castanhos e um corpo torneado, com seios maiores que o meu e uma bunda enorme. Quando saíamos juntas fazemos o maior sucesso com os garotos que babam quando passamos. Adoramos dançar dance music e funk de um jeito bem provocante e ver a cara de bobo que os garotos fazem... hahaha......

Incentivada (e talvez excitada) pelo que eu havia contado, me convidou para ir com ela mais cedo no próximo domingo antes da abertura da casa encontrar o seu amigo, pois como estávamos em duas não daria para rolar mais nada e nós duas estaríamos seguras.

Conforme combinado, no próximo domingo, lá estávamos eu e minha amiga tocando a campainha do lugar. A Cristiane havia ligado antes e avisado que nós iríamos aparecer Estava com um frio na barriga pois as lembranças da última vez que estive ali estavam bem frescas na minha cabeça. Na verdade tinha gostado de transar naquela situação. Será que nesta noite encontraria o gerente? Como eu me sentiria? Teria vergonha? Nojo ? Ou com tesão? Logo o segurança apareceu e abriu o portão.. De um modo muito descontraído ele me cumprimentou com um beijinho no rosto e nos conduziu para dentro da casa noturna.

Fomos até o bar e pegamos algumas cervejas , minha amiga ficou abraçada com ele e conversávamos animadamente quando ouvimos o som de uma buzina. O segurança explicou que iria receber umas caixas de bebidas e que precisaria ir até o estoque para que o motorista descarregasse os engradados. Para não ficarmos sozinhas fomos com ele até o estoque.

Quando o segurança abriu a porta para receber a mercadoria ... Que surpresa! O gerente estava com uma caminhonete e algumas caixas de bebidas destiladas na mão. Fiquei meio boba com a surpresa...... Não esperava encontrá-lo daquele jeito..... Ele me cumprimentou com um sorriso safado, acenou para minha amiga e colocou em um canto as caixas que carregava. O segurança pegou o resto das caixas na caminhonete, entrou e trancou novamente a porta. Que situação!!!!

- Chefe, vou com a Cristiane levar estas caixas até o bar..... Cuida bem da nossa amiga...... Disse o segurança pegando uma caixa e levando minha amiga pelo braço....

Ela me olhou com os olhos assustados.... parecia que queria pedir socorro... Ser salva...... Mas que situação! Como fomos burras! Eles já deviam ter combinado tudo!!!! Armado para ficamos deste jeito....Abismada vi como que em câmara lenta minha amiga sendo levada para o bar ficando eu e o gerente sozinhos no estoque.........

Poderíamos ser estupradas sozinhas ali, aqueles caras podiam fazer o que queriam com a gente e ninguém poderia nos salvar.... éramos um banquete para aqueles caras... Duas meninas novinhas totalmente a mercê para que fizessem o que queriam com a gente.. Pensei comigo mesma... Será que ela agüentaria aquele homem de dois metros de altura? Não ia nem adiantar gritar.... Lá da rua ninguém nos ouviria... aaahhh.... Mas que se foda..... Ela não disse que era apaixonada por ele? E depois foi idéia dela vir aqui antes do funcionamento da casa... E alem do mais deveria me preocupar comigo, pois enquanto pensava paralisada com a situação o gerente já foi me abraçando, me apertando forte..... Por cima de sua calça pude sentir que ele já estava de pau duro..... Só de pensar no tamanho de seu pau comecei a ficar excitada..... ... Filha da puta.... Não acredito que estava nesta situação de novo..... Com esse velho estúpido....

- Olha espera um pouco.... Eu não sou assim.... Da última vez foi sem querer...... Disse meio gaguejando.....

- Ah o que é isso loirinha??? Eu sei bem que você curtiu a nossa transa!!!! E agora nos estamos aqui de novo... Dessa vez vai ser ainda melhor.....

Com a sensação de medo e excitada com a lembrança de nosso último encontro vi o gerente abrir suas calças e tirar para fora aquele pauzão , cabeçudo e cheio de veias..... Novamente ele me fez abaixar e conduziu seu pau até a minha boca..... Agachada ali.... Em meio as garrafas de bebidas... Chupei com vontade.... Erguia o seu pau e passava a língua em suas bolas..... Chupava uma por uma.... Passava a língua do saco até a cabeça de seu pau..... Apesar do tamanho abocanhava aquela cabeçona e o sugava..... Tava gostoso ouvir ele gemer daquele jeito....

- Aaaahhhhh. ..... Como você chupa gostoso....... Vai minha cadela.... Me faz gozar....... Meu tesãozinho......

Como da ultima vez, usando uma certa brutalidade, ele me ergueu e me beijou com força.... tirou minha blusinha e sutiã e depois foi a vez de minha calça ....eu não acreditava que estava acontecendo de novo.... Aquele velho..... Estúpido.... Iria me comer..... Então ele me deitou no chão sujo e arrancou a minha calcinha..... Passou a lamber minha bucetinha como um louco..... Aquilo estava ficando gostoso...... A situação toda era excitante e a minha bucetinha já estava encharcada.....

-Huuuuuummmm...... Que delicia...... Me chupa.... Me fode bem gostoso com esse pauzão..... Disse contorcendo meu corpo pelo chão...... que língua quente.... Aaahhh......

Nisso ele me virou com a barriga para baixo e começou a passar a língua no meu cuzinho.... que delicia..... Ele mordia minhas nádegas e passava a língua no meu reguinho e ia até a bucetinha.... Meu cuzinho piscava..... empolgado, começou a enfiar o dedo para dentro do meu anus.... E eu senti um pouco de dor....

- Para........ Assim não.......... Tá doendo........ Eu nunca fiz isso....... o que você pensa que sou???.......

Então ele puxou o meu quadril me fazendo ficar de quatro e me segurou os seios falando no meu ouvido.....

- Então hoje eu vou tirar o cabaço do seu rabinho.... Vou fuder ele bem gostoso.... Você vai ver........

Sentia aquele pau enorme encostado na minha bundinha..... parecia que estava em brasa.... Fiquei assustada..... Aquele pau não conseguiria entrar no meu cuzinho... Esse cara iria me rasgar toda.... .... que velho mais safado....

O gerente começou a passar o pau pelo meu reguinho e na bucetinha.... Lubrificava o seu pau com o caldinho que escorria pelas minhas pernas...... colocou a cabeça na porta do meu cuzinho...... Um calafrio percorreu meu corpo..... Um misto de excitação e medo de ser arrombada me dominava..... Forçou um pouco..... Doeu bastante e dei um gritinho........ Aquilo não ia entrar......... ele passou o pau de novo na minha buceta para
Deixa-lo mais molhado e tentou de novo..... Me contrai toda e encolhi a bundinha.... Não ia dar..... Percebendo isso o velho se levantou e correu até uma salinha e trouxe um pote com ele.... Passou o conteúdo no seu pau e um pouco no meu rabinho. Experiente e paciente me colocou de lado e tentou enfiar novamente.....

Com dificuldade meu cuzinho foi se abrindo e a cabeça mais lubrificada entrou..... Senti pontadas de dor e soltei um gemido....... Tava doendo, mas eu estava muito excitada!!!! Ele me segurou mais um pouco e foi enfiando o que faltava..... aaaaahhhhh

- Calma gatinha..... Já vai entrar...... affffffffffff........ Ta sentindo? Já entrou metade.........

- Aiiiiiiii , ta doendo....... Como teu pau é grande!!!! Ahhhh.......

Logo o seu pau tava todo dentro de mim...... Não acreditava que tinha entrado tudo....... Saia até lágrimas dos meus olhos..... Ele ficou um pouco parado esperando eu me acostumar com o tamanho e sem tirar o pau do meu cuzinho me colocou novamente de quatro e começou a bombar devagar........

Apesar da dor ... Sentia um prazer que nunca havia sentido...... Tava ficando gostoso....... Huuuummmmm....... Meu cuzinho doía, mas começava a gostar de estar dando o rabo..... O velho safado percebendo isto começou a se mexer com maior rapidez e logo estava metendo em uma velocidade incrível...... O barulho de sua virilha batendo na minha bunda era alto... Pensei que poderia ser ouvido até de fora da sala.... Comecei a rebolar e gozei dando gritinhos de tesão aaahhhhh não sabia que dar o cú me faria gozar tão gostoso.... O caro foi ficando louco com meus gritos.....

- Vai minha putinha ...haaaaa..... Goza..... rebola no meu pau.....mexe gostoso.... Igual quando você dança.... vai minha cadelinha......

Era um vai e vem alucinante , já tinha gozado, meu corpo suava, meu cuzinho ardia , eu não imaginava que seria assim.... Ele foi socando o pau até explodir em um gozo enorme..... Seu corpo estremecia...... Senti que estava sendo inundada com muita porra.....

- Nossa que bundona gostosa você tem!!!! Cuzinho apertadinho.... Foi a melhor foda que já tive!!! Ele disse se levantando e desta vez, sendo um pouco mais atencioso me puxou pela mão...

- Venha .,.... Tem um banheiro lá atrás... vamos nos lavar.....

Fui o seguindo até o banheiro e tomei um banho com ele para me recompor. Meu cuzinho ardia e sangrava um pouco.... Mas que merda! Eu , bonita e assediada por vários garotos tinha dado meu cú para um malcriado, velho e bruto....

No resto da casa, estava tudo silencioso, meu cuzinho doía e imaginei se a minha amiga também tinha passado por um sacrifício igual ao meu, dolorido e delicioso...

By Bianca - enviado por email
Primeira parte deste conto: Fui Comida na Balada
Ocorreu um erro neste gadget