Na Casa da Vovó

Bom, tudo aconteceu no último mês de dezembro, na casa de minha avó. Como de costume, todos os anos eu e minha família vamos para a casa da minha avó, para passar o Natal com os parentes e todos os anos eu fico a ver navios. Tenho uma belíssima tia, morena, (e que morena), coxas grossas, bumbum arrebitado, seios duros e de tamanho médio, uma verdadeira máquina com um corpo escultural e ainda jovem.

 Cristina (como vou chamá-la), estava com um lindo vestido vermelho acima do joelho e com quase metade dos seios para fora do vestido,na noite de Natal. Deixou simplesmente, todos de queixo caído quando chegou, e olhe que teve mulheres que não tiravam os olhos. :) Eu não quis acreditar que tinha um tio casado com aquele material todo, e procurei não dar prosseguimento aos pensamentos que me dominavam naquele instante, tudo o que queria na vida era comer aquele verdadeiro monumento.

Quantas e quantas vezes me masturbei, imaginando-me comendo-a de todas as formas possíveis, mas sempre tive aquela esperança que um dia pudesse acontecer algo, mesmo que não fosse transa. Então, depois de todos estarem pra lá de Bagdá chega a hora de selecionar quem iria dormir na casa dela, que fica na mesma rua, ou na casa da minha avó.

Teve lugar para todo mundo, até para mim, mas quem disse que ela deixou eu ficar lá ? Quando disseram: tem um colchão sobrando aqui no chão Fernando, você pode dormir nele. Imediatamente ela interferiu e disse: Não, ele não vai dormir no chão, lá em casa tem uma cama de solteiro sobrando, ele pode ficar lá. Eu não pude acreditar, parecia que ela estava brincando, só de dormir na mesma casa a sós com uma coisa daquela já me deixava de pau nas alturas, mesmo que nada de estranho acontecesse.

Dada a hora, fomos dormir o resto que sobrara da madrugada. Entramos e imediatamente ela trancou a porta, me deixando mais seguro. Foi logo dizendo que ia tomar um banho, pois não queria dormir com cheiro de cerveja e eu fiquei em seu quarto, deitado na cama do casal, vendo televisão.

Repentinamente ela chega, com uma camisola transparente, e somente de calcinha. Chegou, deitou e colocou uma fita para assistirmos sem dizer uma só palavra, quando vejo, a fita era pornô, e já começa com um cara enrabando uma loirinha gostosa. Fiquei pasmo e sem saber o que fazer, em seguida ela tirou a camisola e pediu que eu a beijasse.

 Sinceramente, fiquei parado, não sabia se tinha realmente ouvido aquilo, mas sem perder muito tempo, fui pra cima dela e comecei a beijá-la. Ela quase que enfiava a língua em minha garganta, então, tratei logo de tirar minha roupa e antes que eu fizesse alguma coisa ela já meteu a mão em pinto e começou a lamber como se fosse a primeira vez que fizesse tal coisa.

chupei aqueles seios durinhos e morenos, quase que colocando-os por completo em minha boca, fui descendo bem devagar até chegar aquela enorme vagina, que já estava toda molhada e pedindo para ser penetrada, tratei logo de atender seu pedido e coloquei meu pinto com as bolas e tudo mais...eu não agüentava mais, estava vendo a hora em que aquela mulher me matava de tesão, comecei a me contorcer todinho e suava muito, até que depois de gozar pedi um tempo, tempo este que ela não quis dar e foi logo chupando o resto de porra que havia ficado na cabeça do meu pinto

 Enquanto eu estava estirado na cama sem agüentar mais nada, vi ela de quatro, com aquele enorme buraco rosa, que cabia dois do meu pinto, pedindo para eu a comer. Fui novamente, desta vez mais fraco e comecei a me contorcer de novo ate gozar, ela parecia insaciável, pediu que eu ficasse de barriga para cima, pois ela queria sentar no meu pinto, foi aí que eu pensei, agora eu morro, mas estava louquinho para fazer aquilo.

Deitei como ela pediu, e ela veio e sentou e começou a rebolar até que eu pedisse que ela parasse, pois não agüentava mais de tesão. Então ela sentou na cama e eu continuei lá estirado, como se estivesse acabado de correr a São Silvestre. Depois disto não transamos mais deste jeito, mas sempre que tenho oportunidade, posso masturbar ela, e ela acaba fazendo o mesmo comigo, o bom que é que ela limpa muito bem, quando eu gozo!

Conto erótico recebido por email - autor anônimo

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget