Manutenção de Emergência

Após concluir meu curso técnico fui trabalhar numa empresa onde prestava assistência técnica em aparelhos eletrônicos hospitalares, mais precisamente em audiômetros, aquele que mede o nível de audição. Todos os dias tinham uma ou mais visitas técnicas nos hospitais da Capital e do interior.

Certo dia recebi um chamado urgente para proceder à manutenção e aferição de um aparelho num hospital da capital. Chegando lá fui recepcionado por uma fonoaudióloga muito simpática e bem gostosa. Depois de alguns exames no equipamento a chamei, informei que o trabalho ia ser demorado e perguntei se ela gostaria que retornasse outro dia, mas a fono pediu para que eu ficasse pois ela dispensaria o pessoal programado para os testes daquele dia e assim eu poderia ficar a vontade para a manutenção. E se prontificou a me ajudar no que fosse preciso.

Para quem não conhece, o ambiente onde se realizam estes testes de audição, o local possui uma saleta apertada totalmente isolada acusticamente do ambiente externo. Bom, lá estava eu enfiado no equipamento, esquentando minha cabeça quando a fono veio me fazer companhia se oferecendo para ajudar no que fosse preciso.

Começamos a conversar e realizar alguns testes, iniciou-se um passa pra cá e pra lá, uma encoxada aqui e ali, e o meu cacete duro que não dava mais para disfarçar. Numa das esfregadas para o meu delírio, a fono deu uma apalpada e disse:

- Que coisinha mais dura.

E para meu espanto foi logo dizendo:

- Senta aí e relaxa que eu vou cuidar dessa pica com todo carinho

Seu ato seguinte foi abaixar o meu zíper e puxar o cacete para fora, engolindo o danado com toda volúpia. Não tardou e eu dei aquela esporrada em sua boca, a coitada não estava esperando aquilo e com a boca cheia dizia.

- O que faço com isso?

Eu , sem saber direito o que responder, disse engole que faz bem para pele, sei lá! Nisso a fono fez um brummmm com os lábios e lambuzou todo o vidro de porta. Depois de limparmos o vidro ela disse que era sua vez de gozar em que prontamente a atendi, desci sua calcinha que já estava bem meladinha no centro onde toca a xoxota e com os meus dedos expertos levei-a ao delírio.

Demos uma pausa e fui concluir a aferição do equipamento, mas o padrão que eu utilizava para o teste pifou, aí ela me deu uma idéia vamos aferi-lo de ouvido. Eu gero a freqüência a minha moda e você calibra o equipamento, mas eu estranhando perguntei como ela geraria o som, o que ela prontamente respondeu com essa boquinha eu faço miséria e vou fazer isso degustando essa sua pica deliciosa, mas terá de prometer que não vai gozar novamente na minha boca ok!

Vocês não imaginam o que aquela fonoaudióloga é capaz com a boca, gerou todas as freqüências necessárias de 2OO a 5OOO hz e minha pica foi seu instrumento principal. Como brinde pela experiência da moça fui forçado a fazer a manutenção completa, comê-la por todos os lados, em todas as posições naquele cubículo, que dureza!

Sorte que ela tinha uma flexibilidade com as pernas. Incrivelmente fazia um 9O graus que minha pica penetrava até os bagos encostarem naqueles lábios carnudos cobertos por uma floresta negra super macia. Assim realizei meu trabalho e ganhei uma xota maravilhosa, a qual comi por longo tempo!

Conto Erótico recebido por email by Técnico

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget