Namorada Obediente

Eu sou moreno, 28 anos, solteiro e tarado. Sempre gostei de aventuras sexuais, e nunca tive muitos limites quando se tratava de sexo. Gosto de mulheres que se tornem putas maravilhosas entre quatro paredes. Por isso namorei pouco na minha vida, porque algumas se assustavam com a minha fome de sexo.
Bem o que vou contar aqui, foi o rolou com a minha última namorada, ela morena, 23 anos, cabelos encaracolados até o ombro cabelos e olhos castanhos, bundinha gostosa, peitinho rosinha e durinhos e uma xoxota carnuda e melada.

O que ela mais gostava de fazer era chupar uma pica, nossa como chupava bem aquela garota, e tinha uns detalhes adorava sentir o gosto da minha porra na sua boquinha macia coma língua nervosa. Certa noite passei na casa dela já com a intenção de botá-la pra chupar e depois fude-la todinha.

Buzinei e ela desceu, sempre com aquela cara de hoje eu quero sacanagem!Entrou no carro e lá mesmo começou as mãos se assanharem, fui direto pro nosso refúgio, que era uma sala num prédio comercial.

Entramos e começamos a nos beijar, lamber, morder, ela pegava no meu caralho, eu me esfregava nela, dai começou o que sempre rolava, ela começou a beijar meu pescoço, descendo até a barriga, foi abrindo o meu zíper, nesse tempo meu caralho já pulsando de tanto tesão saltou pra fora e ela como sempre abocanhou sem pensar, ela sabia mamar uma cacete, subia e descia a cabeça, segurando o saco e lambendo com se fosse a melhor de todas as vadias do mundo, e ficava olhando pra mim, com um sorrisinho maroto naquela carinha de menina levada.

Ela chupou o caralho e foi descendo até o saco, ai chupava uma bola, subia e lambia o pau, apertava e lambia o saco, uma verdadeira putaria, até que com muita malícia a garota começou a descer mais embaixo do saco, e começou a brincar com a língua bem aonde, isso mesmo no meu cú, que doida!

Deixei ela se divertir um pouco por lá, mas já pensando: é deixa ela, ta querendo sacanagem, vou fode-la como uma cadela”. Deixei-a brincar um pouco mais no caralho e pronto era a minha vez sentei no sofá, segurei o cacete e ordenei:

- Vem gata, senta no caralho aqui, vem.

E ela como sempre sem falar nada já veio obedecendo e sentando, pronto, a cabeça foi entrando com um pouco de dificuldade, mas ela com a sua ginga foi rebolando e falando baixinho:

- Espera ai, deixa encaixar essa tora, calma, devagar, assim, assim.

Nisso o caralho já estava to alojado naquela xoxota encharcada, dai comecei a fode-la como uma fêmea de verdade gosta, com potência, com vontade, socava o caralho dentro daquela buceta até ela pedir clemência, mas a safada agüentava tudo numa boa , se deliciando , parecia que estava nas nuvens quando tava com um caralho atolado dentro dela. O que fiz peguei a gata a botei de quatro no sofá, e falei:

- Empina essa bunda, vai gostosa fica arrebitada que vou meter.

Ai é que a safadinha arreganhou-se toda pronta tava do jeito que eu queria fuietendo devagarzinho na xoxota que foi engolindo meu caralho de uma só vez, comecei a bombar e ela a rebolar, rebolava como uma profissional, eu arregaçando-a todinha, mas eu olhando o caralho entrando , deu de cara com o cuzinho dela piscando pra mim, cada estocada que ue dava o cu dav uma piscada, não perdi muito tempo, vendo aquele cú todo arreganhado pra mim, sem pedir permissão fui enfiando no buraquinho, como era apertado, mas que se foda, vou enrabá-la assim mesmo, pensei comigo!

Pronto o caralho já estava entrando e ela quase chorando pedindo pra parar, mas não atendi o seu pedido, ela virava atá os olhinhos, hummmm como era lindo ver aquela gatinha tomar na bunda, virando os olhinhos. Comecei a socar o cacete, num ritma nem devagar nem rápido, mas o suficiente pra eu e ela gozarmos juntinhos, a safada além de chupadora, gozava dando a bunda, salve a namoradinha obediente! 

Conto erótico recebido por email - autor anônimo

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget