Pizza

Éramos seis pessoas reunidas na casa de um amigo, juntamente com bebidas e pizzas. Eu tinha acabado de voltar de viagem e estava morrendo de saudades dele: seu cheiro, seu corpo, seu beijo. Estávamos na sala conversando até que surgiu falar sobre sexo. Comecei a ficar tensa, eufórica, cheia de tesão e percebi que ele também estava inquieto. Até que...

- Gente, nós vamos colocar a pizza no forno – Falou, puxando minha mão e me carregando para a cozinha. Trancou a porta, passando pela cozinha sem ao menos ligar o forno e me levou até a área de serviço.

Eu estava de saia. Me trouxe com ele até a parede, me beijando, me acariciando, mordendo meu pescoço, meu colo, meus seios... E foi lentamente, descendo, arrancando a minha calcinha e mandando-me colocar as mãos na parede e abrir bem as pernas. Já sentado no chão, meteu a língua dele dentro de mim, abrindo a minha vagina com os dedos indicadores das duas mãos.

Ele sabia que eu adorava aquilo e sabia como eu adorava aquilo. Minha mão estava na sua cabeça, acariciando seus cabelos e sem agüentar mais de tanto tesão, puxei-o para cima e fui andando para trás, onde me deparei com a máquina de lavar. Fiz ele sentar ali mesmo, pegando um banco para eu me sentar e, logo em seguida, tirei a sua calça.

Abri suas pernas e acariciei a parte interna de suas coxas (ele adorava isso!). Fui subindo, lentamente, fazendo com que meus dedos tivessem um contato leve com sua pele. Passei a mão por suas pernas, por sua virilha, seu saco... Cheguei até seu pênis, ereto, pronto para ser lambido. E foi o que fiz. Chupei todo o seu pênis, de baixo para cima, até chegar a cabeça, que estava completamente molhada.

Lambi aquele líquido e quando ia começar a fazer o sexo oral, ele subitamente levanta, me joga para cima da máquina de lavar, senta na cadeira e coloca minhas pernas apoiadas em seu ombro, continuando o que eu havia parado enquanto estava de pé. Ele meteu a língua fazendo "os movimentos certos, no lugar e na velocidade certa", e eu me contorcendo, apertando com força a minha coxa, expressando a sensação que sentia no momento sem fazer muito barulho.

Gozei rapidamente, liberando uma descarga elétrica que me deixou encharcada e que ele conhecia bem como era. Ele olhou para mim com um sorriso satisfeito pelo serviço feito. Me secou com sua língua (ele adorava isso!), colocou a minha calcinha e me ajudou a descer de cima da máquina de lavar. Ouvimos a porta batendo. Nos olhamos e percebemos que havíamos perdido a noção de tempo. Ele olha pra mim e pergunta:

- E aí? Tá a fim de comer uma pizza?!

Conto erotico recebido por email - autora anônima

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget