Minha Cunhadinha

Eu sou casado e tenho 21 anos, mas o que irei contar aconteceu ano passado, eu me chamo Rodrigo e tenho 1,75 de altura, olhos verdes, cabelos castanhos curtos e sou fofinho. Eu e Cláudia (Minha esposa) éramos muito naturalistas, andávamos nus pela casa, até que um dia o telefone tocou e a Cláudia atendeu e me disse que a irmãzinha dela (18 anos) iria passar alguns dias na nossa casa devido a uma briga dos seus pais.

Até ai, normal, pois eu a via como uma irmã, prima, e nunca tive pensamentos maliciosos dela. Bom, ela veio na nossa casa lá por volta das O6 horas da tarde e não imaginava que nos andávamos pelados pela casa então resolvemos nos vestir, quando eu a vi, caiu o meu queixo. Com 1,70 de altura, cabelos castanho claros, liso e a altura dos ombros seios pequenos e empinados, bundinha saliente e empinada, um tesão, mas ainda não pensava em come-la.

O dia passou e a Cláudia e eu zoávamos muito, ela dizia a Suelen (minha cunhadinha) que eu tinha amado ela, estava a fim de beijá-la e tal. De noite Cláudia tinha que fazer um trabalho para a faculdade e tinha que viajar e iria voltar 2 dias depois, como ela ia só com umas amigas eu fique tranqüilo, e disse para eu cuidar da Sú (era como nós a chamávamos) e disse para ela.

— Cuidado com ele, quando acorda já pensa em fazer sexo.

A Sú tinha ficado vermelha e eu falei baixinha para a Cláudia parar de fazer essas brincadeiras com a menina, pois ela pode pensar mal de mim...

A noite seguiu tranqüila, eu e a Sú ficamos conversando e percebi que ela era muito cabeça, manjava bastante de várias coisas e ficamos conversando até umas 11 h. e ela disse que estava com fome, ai eu resolvi fazer a janta, resultado: arroz mingau, feijão queimado e bife torrado, até que ela disse,

— Vamos pedir uma pizza.

Nós resolvemos ir comprar a pizza, pois ai alugaríamos uns filmes etc. Compramos a pizza e quando eu perguntei para ela o que ela iria beber ela disse:

— O mesmo que você, eu perguntei se os pais dela a deixavam beber, ela abaixou a cabeça e disse que não, eu fique chateado e disse que como os pais dela não estão por perto ela poderia tomar o que quiser..., então, fomos até a locadora e alugamos uns filmes e eu peguei um pornô, pois eu não iria agüentar 2 dias sem a Cláudia...

Chegando em casa, a Sú preparou a mesa enquanto eu tomava banho, e quando tomo banho eu largo a porta aberta, pois tem box de vidro no banheiro e se a alguém quisesse fazer as necessidades podia entrar, mas aquela noite estava quente e eu tomei banho frio e o vidro não ficou embaçado, pouco tempo depois a Sú entra no banheiro para mijar e quando ela viu o meu membro arregalou os olhos e ficou vermelha, eu percebi ela no banheiro, virei imediatamente, ela se explicou e eu disse que tudo bem, ela se sentou no vaso. Não sei se por tesão ou curiosidade olhei para ela estava que estava arriando as calças e vi a sua xoxotinha. E que xoxota! Ela percebeu que eu estava olhando e se virou de costas, pude então ver sua bundinha,.

Fico de pau duro só de lembrar... Ela acabou o que tinha que fazer e eu fui me trocar, quando eu sai ela estava meio alterada, parecia bêbada. Nós comemos e ela desmaiou no sofá, então a carreguei para o meu quarto e a coloquei na minha cama. Depois fui para a sala, comecei a beber e dormi no sofá . De manhãzinha fui tomar um banho, pois estava cheio de porra no meu pau e achei que fosse por causa do filme pornô, me sequei e sai do banheiro pelado, por que tinha esquecido da Sú. Quando eu entro na cozinha encontro ela sentada tomando um copo de leite, nuazinha também, essa cena me deixou de pau duro na hora e eu não tive reação, ai ela me disse:

— Caramba você já acorda de pau duro, bem que a Cláudia tinha Razão.

Nisso ela derramou o leite de propósito bem nos seus peitinhos, e o leite escorreu até a sua xoxotinha e ela falou para eu pegar algo para ela se limpar ai eu não pensei duas vezes, fui lá e comecei a mamar aqueles peitinhos , lambendo sua barriga até chegar na sua xoxota e ela gemeu.

— Finalmente eu vou sentir o seu caralho na minha bucetinha, pois na minha boca de madrugada foi ótimo.

Ai quando eu ouvi isso fiquei doido, a beijei na boca e carreguei-a até o meu quarto. A joguei na cama e ela me disse.:

— Vem aqui meu macho, sacie a sede da sua fêmea.

Eu parti para cima dela e comecei a tentar enfiar na sua bucetinha, ela começou a urrar de prazer rebolando até que ela me empurrou e ficou de quatro e disse:

— Na bucetinha eu posso engravidar, meta no meu cuzinho, me possua por inteiro.

Quando eu ouvi isso acabei gozando tudo na rodinha dela e a mandei chupar a minha pica até eu ficar em ponto de bala, quando eu estava quase gozando a pus de quatro e a rodinha dela ainda estava melada de porra. Dei uma penetratinha na bucetinha para lubrificar e fui colocando minha pica devagarzinho no seu cuzinho, sem agüentar mais enfiei tudo de uma vez, ela soltou um grito e eu dei uma parada ai ela disse:

— Continua seu puto, come sua putinha.

Eu não agüentei, fui estocando socando em um vai e vem frenético, até que nós gozamos juntos e voltamos a dormir abraçados e ansiosos por outra foda daquelas

Conto erótico recebido por email – autor anônimo

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget