O Safado do Meu Primo Me Comeu de Novo

Como comentei no meu conto anterior um primo que eu nunca havia conhecido até então, veio morar comigo e minha mãe. Depois que transamos fiquei morrendo de raiva dele e mais ainda de mim por ter cedido as suas vontades. O garoto era muito grosso e sem vergonha. Acabou me pegando a força e eu, dominada por um tesão incontrolável ,acabei transando com ele e até dando minha bundinha, coisa que eu nunca havia feito com nenhum namorado antes.

Odiava aquele cara. Falava como um caipira e apesar de ser um parente era um estranho para mim. Não suportava a idéia de ter minha casa invadida desse jeito. Agora tinha perdido até minha mãe para ele. Sempre que ela estava em casa procurava dar atenção para meu primo, pois afinal era filho de seu irmão e não o via desde bebe.

Decidi que não queria mais vê-lo e diante dessas dessa situação, inventei de fazer um curso todos os dias chegando em casa quando sabia que não ficaríamos sozinhos. Prometi para mim mesma que nunca mais teria nada com ele. Jantava no curso e sempre que chegava em casa minha mãe estava na sala vendo tv com ele. Ia direto para o chuveiro e depois para cama.

Passaram-se dois meses e o meu primo continuava lá ,compartilhando de minha casa. Depois deste tempo o cômodo que estava em reforma foi terminado e finalmente eu ia ter meu quarto de volta. Meu primo se instalara no novo cômodo e, feita as alterações, passei um bom tempo limpando meu quarto e passando bom ar para tirar aquele cheiro de homem .

Continuei com a minha rotina e reparava que o meu primo não tirava os olhos de mim. Confesso que não tinha esquecido o prazer que sentira quando ele me comeu daquele jeito: Meio que a força, fodendo o meu cuzinho como um louco. Mas iria respeitar a minha promessa e não transaria com ele novamente. Tinha achado a solução não ficando mais sozinha com ele.Achei que tudo estaria bem assim.

Em uma noite que fazia um calor infernal cheguei em casa louca por um banho. Dei um beijo na minha mãe, cumprimentei com um oi friamente o meu primo e fui para o chuveiro. Fazia tempo que não transava e o calor do dia se confundia com a carência do meu corpo. Minha pele até se arrepiou quando passei o sabonete pela vagina. Coloquei um pijama de algodão rosa bem fresquinho e fui para o quarto. Antes de entrar, meu primo que aguardava para ir ao banheiro me olhou demoradamente, encarando minha bundinha que estava exposta em um shortinho curto e justo. Olhei para ele e virei a cara. Pensei comigo mesma: Seu babaca. Nunca mais vai transar comigo.

Deitei e rolava de um lado para outro demorando para pegar no sono. O calor estava muito forte e abri a janela. Tirei meu pijama e dormi nua esparramada na cama tomando o cuidado de trancar a porta. Acordei de madrugada sentindo alguma coisa quente e molhada acariciando o meu cuzinho. A sensação era boa e minha buceta estava molhada. Assustada me virei e sentei na cama acendendo a luz do abajur para ver quem era aquela pessoa atrevida que ousava me lamber deste jeito. Fiquei surpresa com um misto de raiva e uma pontada de medo. Tentei gritar mas rapidamente ele avançou sobre mim e tapou minha boca com uma das mãos.

-Xiiii. Fica quietinha. Promete que não vai gritar?

Segurei seu braço forçando para tirar a mão de minha boca, mas ele era muito mais forte, então cravei minhas unhas no seu peito e lhe dei um tapa. Mas de nada adiantou, pois colocando seu corpo em cima do meu fiquei imobilizada pelo peso e com suas mãos fortes que seguraram meus braços contra o colchão. O seu peito estava vermelho e sangrava com as minhas unhadas.

-Você tá louca? Olha o que você fez comigo. - Se você não se comportar eu não vou te soltar. Você vai ficar quieta?

Como não podia competir com ele na força física decidi dissuadi-lo de sua investida. Fiz que sim com a cabeça e lentamente a pressão da sua mão sobre a minha boca foi reduzindo.

-O que é isso? O que você esta fazendo no meu quarto? S-seu s-eu tarado.

-Eu não consegui mais te esquecer prima. Desde aquele dia que transamos não consigo parar de pensar em você e nesse seu rabinho. Como a porta estava trancada pulei a janela.

-Saia já daqui. Vou chamar a minha mãe.

-Se tentar gritar de novo vou te amordaçar e não venha dizer que não estava gostando da minha chupada pois você estava gemendo e sua bucetinha estava molhada

-Ora seu... Eu pensei que estava sonhando.

-Agora vou realizar seus sonhos. - disse se ajeitando entre minhas pernas e com uma das mãos tocando minha vagina. - Olha... Você ainda esta molhadinha... Que delicia. Diga que quer dar para mim.

-Não, eu não quero. - Podia sentir a pontinha do seu pau tocando na minha buceta e estava muito excitada. Adorava ser dominada, mas odiava que o meu primo tivesse descoberto isso. Sentia falta de ar e respirava pesadamente. O tesão diante daquela situação era tanto que meu corpo tremia.

-Agora você vai me chupar - disse largando minhas mãos e subindo pelo meu corpo até deixar seu pau encostar no meu rosto. Com ele sobre o meu corpo continuava presa . Seu cacete duro latejava e podia sentir o cheiro do seu sexo. Não agüentei e quase involuntariamente abocanhei a cabecinha sugando com força. Ele dominava a situação colocando e tirando seu pau da minha boca. Às vezes o segurava e me oferecia seu saco falando com autoridade: - Chupa o meu saco e lambe as minhas bolas. Ele se masturbava e gemia com as minhas linguadas. Quando começava a gostar da brincadeira ele saiu de cima de mim passando seu pau pelo meu pescoço, descendo pelos seios, pela barriga. Aquilo me arrepiava toda.

Com o pau na entrada da bucetinha, ele passou a me beijar com sofreguidão. Sua língua procurava a minha e tateava todos os cantos da boca. Em seguida passou a beijar todo o meu rosto como se estivesse em um estado de adoração. Sua boca foi descendo pelo meu corpo com a língua molhando a minha pele. Seu rosto se encaixou entre minhas pernas e pude sentir o hálito quente na minha buceta. Seus dedos abriram os lábios da minha vagina e sua língua úmida encontrou meu clitóris. Gemia de prazer e fechava os olhos aproveitando todo o prazer que estava sentindo.

-Que saudades desse seu corpo. Nunca tinha chupado uma buceta loirinha.

-Vai... Para de falar e chupa.

Sua língua era habilidosa e passeava tateando cada pedacinho da minha vagina. Já não agüentava mais e acabei gozando na sua boca apertando sua cabeça entre minhas pernas.

-Goza priminha, goza... Agora vou comer esta bucetinha linda. Vou-te foder bem gostoso.

Uma de minhas pernas foi colocada no seu ombro e a cabeça do seu pau encontrou a minha bucetinha. Deslizando lentamente para dentro, meus lábios vaginais se abriram para receber aquele cacete duro. Molhada como eu estava logo a penetração estava completa. Estava dando para o meu primo de novo. Ele tirava o pau com rapidez somente para me penetrar lentamente. Acho que queria sentir cada centímetro da penetração. Estava achando aquilo uma delicia.

-Que tesão prima. Que bucetinha apertava… Até parece uma virgem... - disse deitando-se sobre mim.

Nesta posição ele passou a socar com mais força me levando a loucura. A violência era tanto que sentia contrações de prazer na vagina. Parecia que estava mastigando o seu pau. Eu suava e respirava com dificuldade.

-Vou gozar… Eu vou gozar... Meu primo tirou seu cacete de dentro de mim e longos jatos atingiram a minha barriga. Tive um orgasmo quase ao mesmo tempo sentindo a cama tremer sob o meu corpo. Inconsciente cravei minhas unhas nas suas coxas gemendo como louca.

Meu primo quis dormir comigo, mas eu o expulsei do quarto. Enquanto ele vestia sua roupa pude reparar nas marcas que deixei e torci para que virassem cicatrizes permanentes. Depois deste dia passei a trancar a porta e a janela do quarto. Logo depois meu primo foi embora de nossa casa me deixando aliviada por não “correr mais perigo” dentro de casa, porem, com uma pontada de lastima por não ser mais comida daquele jeito pois nenhum namorado teve a coragem de transar comigo assim... a força.

Primeira parte deste conto aqui: Transei com o Estranho de Meu Primo

Conto erótico by Taís K.

3 comentários:

Anônimo disse...

Voce é mt fresca poha,na hora q ta dando ta gostando e depois fica com raiva, e ainda fala q num quer + correr perigo, até parece q num gosta kkkkkkkkk, Eu é q num fui com a tua cara!!

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkk

igor vieira disse...

Bom siginifica que voçé ainda gosta dele kkkk

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget