Padrinho da Suruba

Sou casada, mãe de dois filhos, trabalho com meu marido em nosso escritório. Somos muito felizes e sentimos tesão um pelo outro. Tenho 28 anos, sou loura, gostosa e taradinha por sexo. Com o passar dos tempos, passei a prestar mais atenção no nosso padrinho de casamento. Flávio também casou jovem, assim como eu, é louro, têm 23 anos, olhos verdes. Depois que comecei a reparar nele, nossos olhares se tornaram mais maliciosos.

Certa vez, encontrei com ele no centro da cidade, mas, como estava com pressa, não conversamos direito. Só que ganhei um elogio daqueles, tipo: Como você está gostosa. Fiquei nas nuvens e pensei que um dia ele seria meu numa cama. Chegando em casa, comentei com meu marido e ela me deu a maior força para sair com Flávio.

O tempo foi passando e, quando ele vinha em nossa casa, passei a provocá-lo com roupas, gestos e até com palavras. Meu marido e eu tínhamos pensado em Flávio até na hora em que transávamos. Eu chegava a chamar pelo nome dele na hora em que estava gozando. Flávio também passou a me provocar, vinha sempre em casa com shorts curtos e apertados.

Que pernas! Não agüentava mais esperar pela tão sonhada noite, até que finalmente aconteceu. A esposa de Flávio foi passar uns dias no litoral e ele foi até minha casa para pedir que nós a levássemos à rodoviária. Na hora de ir, meu marido me disse que iria sozinho e que na volta nós três sairíamos. Meu coração disparou e minha xaninha ficou molhadinha na certeza de que, naquela noite, aquele cacetão seria meu.

Fomos a um bar tomar um drinque e, na volta, entramos num motel. Os três: eu, meu marido e Flávio escondido no porta-malas. Chegando lá, Flávio foi tomar banho e eu fiquei com meu maridinho na cama, só me roçando de calcinha. Quando o querido padrinho de casamento saiu do banheiro, seu pau ficou duro só de olhar minha bunda.

Meu marido o chamou com um aceno e, não sei nem como, ele entrou embaixo de mim e me colocou sentada naquele pau. Eu gemia e pedia que ele enterrasse aquele tronco na minha xoxotinha, lambuzada e apertada. Não sei como agüentei todo aquele pau. Fodemos em todas as posições possíveis e inimagináveis.

 Ele gozou umas três vezes. Na hora em que Flávio me comeu por trás, meu marido deixou de ficar no canto só olhando para chupar minha xaninha por baixo. Mas não me contentei somente com isso. Queria a dupla penetração e ela acabou acontecendo.

Meu marido foi colocando o pau no meu cu, enquanto Flávio me comia pela frente. Era uma orgia total! Acabamos gozando os três juntos. Após um maravilhoso banho relaxante na hidromassagem, começamos tudo de novo. Eu chupava ora um, ora outro. Sentei na piroca de Flávio e fiquei rebolando enquanto chupava o pau do meu marido. Os dois gozaram em cima de mim e gozei como nunca. Tomamos outro banho e fomos levar Flávio na casa dele. Espero repetir essa façanha maravilhosa por muitas vezes e, com certeza, continuarei contando para vocês o nosso tesão em outras aventuras. 

Conto Erótico recebido por email by casal liberal

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget