Uma Grande Loucura

Vale a pena, às vezes, se esquecer de tudo para viver uma grande loucura. Sou uma jovem de 2O anos, bonita, morena, dessas cor de jambo, tarada e insaciável. Esta historia aconteceu quando conheci Waldir, o dono de uma firma de representação onde comecei a trabalhar como vendedora. Desde o primeiro dia, achei Waldir atraente.

Ele era moreno, alto, bonito, musculoso, um tesão de homem! Isto logo me chamou a atenção. Tudo bem que eu já era comprometida. Mas estava cansada de ter um homem só e de saber que, ainda por cima, ele me traia com outras mulheres. Decidi que já era a hora de viver um pouquinho minhas fantasias. Waldir era doce, gostoso, sensual.

Nas duas primeiras semanas de trabalho, confesso que ele chegou a me perturbar. Às vezes, eu ia ao escritório ao fim do dia, mesmo sem ter nada para fazer, apenas para vê-lo e sentir aquele sedutor olhar sobre todo o meu corpo jovem. Alem de tudo, ele era muito carinhoso e isto foi criando um clima de liberdade entre nos, que culminou numa tarde ensolarada. Após um dia tumultuado, passei no escritório para ver Waldir.

Ele não estava, mas eu fui decidida a esperá-lo para conversarmos depois. Waldir não demorou e logo mandou a secretaria embora. Mal a garota desceu as escadas, trancou a porta e, depois de trocar um olhar profundo comigo, veio em minha direção e me abraçou. Eu estava suada, mas ainda assim me sentia mais sexy do que nunca. Lentamente, ele foi tirando minha roupa, deixando-me nua e a sua mercê.

Fez o mesmo com seus trajes e pude ver a beleza de um corpo bem trabalhado. Waldir me colocou no carpete e me deu um banho de língua maravilhoso. Chupou meu grelinho com gosto, me fazendo gemer de prazer. Antes que eu tivesse um desmaio, levantei e me ajoelhei na frente dele, começando a mamar aquele pau.

Já ansiava por sentir aquela coisa dentro de mim, quando vi que Waldir tinha sensibilidade suficiente para adivinhar meus desejos. Começou a me penetrar e aquele pauzão grosso foi rasgando a minha buceta apertada sem piedade. Mas eu, gulosa pra caramba, já imaginava como seria aquela coisa toda dentro do meu cuzinho.

Gozava só com a idéia. Waldir me comia com tesão. Enfiava o pau na minha xoxota e tirava, ao mesmo tempo colocava o dedo na minha bundinha, preenchendo-me por inteira. Que delicia! Que homem! Eu delirava. Foi então que ele disse que queria comer minha bundinha. Neguei a principio, afinal nunca tinha feito aquilo sem ser com meu namorado. E tinha um encontro com ele duas horas depois. Mas o tesão era tanto que não resisti.

Fiquei de quatro e deixei que Waldir me enrabasse. Doeu pacas e eu só consegui deixar até a metade. Depois de muita insistência, deixei que ele fizesse o trabalho totalmente.

Conto erótico recebido por email - autor anonimo

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget