Comi a Sobrinha de Minha Mulher


Minha esposa tem vinte e um anos, é branquinha, tem 1,67 de altura 55 kg, cabelos pretos longos na altura da cintura e olhos verdes. Uma deusa! Na verdade, não sei o que ela viu em mim, porque não me acho bonito e sou mais baixo que ela. Nos conhecemos a nove meses em um aniversário de um amigo pois não sou muito de sair, não bebo, não fumo, sou muito caseiro e só saio de casa para o trabalho a não ser casamentos e festas sociais de amigos, bom... Em uma destas festas que conheci Fernanda.

Tínhamos muito em comum, ela estava passando férias em minha cidade, sua amiga era amiga de meu amigo e a convidou para esse evento. Depois de nos conhecermos começamos a namorar apesar dela morar em outro estado. Sua mãe tem uma confecção e com freqüência vem fazer compras aqui para revender em sua cidade. Por isso sempre que ela vinha nos encontrávamos, depois de um mês de namoro ela contou a sua mãe que não aceitou de jeito nenhum pois não me conhecia, era a filha caçula, tinha só ela das três irmãs em casa e ,por isso, a mãe mimava muito ela.

Não queria que ela saísse de casa, porém mesmo assim, continuamos a namorar. Ela queria de qualquer jeito sair de casa e se casar comigo, pois não suportava mais sua mãe pegando no seu pé. Fernanda era muito carente de amor até por que sua vida sempre foi de casa para o trabalho/ escola. Sua mãe sempre interferia em seus namoros de forma que nenhum namorado durava com ela. Queria que agora fosse diferente, então combinamos de nos casar mesmo sem o consentimento dos seus pais e sem eu não os conhecer.

O que acabou acontecendo é que ela deixou tudo para trás e veio morar comigo. Nessa época eu trabalhava de instrutor de informática numa escola particular, já tinha minha casa, mas morava com meus pais. Então nos casamos e fomos morar em minha casa. Quando chegou aqui ela prestou vestibular e acabou passando no curso de medicina, logo depois arranjou um emprego de secretária e vivíamos bem, ela passava o dia trabalhando e a noite ia para a faculdade, só chegando em casa depois da 22hs.

Eu trabalhava até às 18hs e ficava na casa de meus pais que era próxima da minha, esperando a hora dela chegar. Neste período eu não ganhava muito bem, quando era solteiro dava pra muitas coisas mas depois de casado começou a apertar as coisas, também atrasava muito as contas, então decidir procurar um novo emprego.

Depois de dois meses casado arranjei um novo emprego, ganhava bem melhor, mas só que era à noite, saia de casa às 22h e só voltava as 6h. Então minha esposa teria que ficar só à noite, pedi que ela dormisse na casa de meus pais e na minha folga dormiríamos juntos, mas ela não gostava. Preferia seu espaço, tinha mais privacidade, teríamos que arranjar uma solução. Pedi para minha irmã de 21 anos ficar com minha esposa, mas ela tinha medo de dormir só com Fernanda. Tentei pedir para minha sobrinha de 15 anos pousar em minha casa, mas também não deu certo.Então minha esposa me disse:

- Tenho uma sobrinha chamada Amanda, filha de minha irmã mais velha, ela é muito apegada a mim e tenho certeza que se eu pedir ela vem morar com a gente, mesmo porque ela não gosta do padrasto dela. Vivia dizendo que quando eu casasse moraria comigo. O que você acha?

Achei ótimo! Então ela ligou para sua irmã e pediu que colocasse sua Amanda no ônibus que ela esperaria aqui na rodoviária. Sua irmã aceitou e logo providenciou tudo, dois dias depois cheguei do trabalho às 7h e minha esposa me avisou que estaria indo pegar sua sobrinha na rodoviária.

Tomei meu café da manhã e fui dormir. Minha esposa saiu levando com ela uma cópia da chave de casa para não me acordar quando voltasse. Meio - dia acordei e ouvi vozes na cozinha. Levantei e fui até lá. Ao chegar me deparo com uma coisinha mais linda que já vi. Uma loirinha de olhos verdes quase da altura de minha mulher e muito bem feita.

Levei um susto porque não conhecia a família de minha esposa e não sabia que sua sobrinha ela tão linda! Minha esposa me apresentou e logo, com um lindo sorriso, ela me saudou com um bom dia. Eu e minha esposa nos amamos muito. Ela confia completamente em mim porque eu vivo em função dela. Também somos iguais na cama, só pra se ter uma idéia, fazemos amor todas as noites e por várias vezes. Quanto mais ela quer, mais eu também quero. É uma loucura e, às vezes, só vamos dormir depois das 5h da manha.

Nossa rotina acabou correndo da seguinte forma: Na hora que eu chegava em casa pela manhã minha esposa saia para trabalhar ,mas antes tomávamos nosso café juntos. Depois disso eu ia dormir e sua sobrinha só acordava depois das 8h que é a hora que chega nossa empregada.

Nossa casa não tem porta nos quartos e a sobrinha dormia num quarto vizinho ao nosso. Estava curioso para saber como ela dormia, então quando eu passava em frente seu quarto olhava e a via de vestidinho branco transparente com uma calcinha geralmente branca. Ficava logo de pau duro e ia imaginando como se aproximar daquele tesão, acho que ela percebia isso porque as vezes, quando eu me acordava, ela estava no nosso quarto trocando de roupa porque suas roupas ficavam no guarda-roupas de nosso quarto.

Ela nem imaginava que eu pudesse me acordar e se trocava frequentemente sentada na nossa cama na maior naturalidade. Um dia ouvi um barulho e abri levemente os olhos, vi que ela estava sem calcinha procurando uma para vestir, fiquei louco de tesão e percebi que sua xaninha era bem pequeninha com pelos loirinhos. Já estava mexendo demais comigo, mas não tinha como atacar porque temia a empregada.

Tinha que bolar ficar só com ela. Também observei que quando fazia amor com minha esposa ela ficava olhando, pela porta, percebi isso varias vezes. Parece que ela queria descobrir isso também.

Em certo dia a empregada ligou para avisar que estar doente e que não poderia ir trabalhar. Esta era a chance que eu queria! Dormi até meio dia e quando me acordei percebi ela na cozinha fazendo um lanche. Disse que era pra nós porque não sabia cozinhar, eu falei que não precisava porque eu iria comprar comida pronta. Sai para comprar uma pizza.

Quando cheguei observei que ela estava vestida com uma blusa grande de minha esposa. Dava para ver que ela estava só de calcinha e não usava sutiã pois seus peitinhos estavam quase furando a blusa.

Após comermos perguntei se ela tinha gostado, ela disse que tinha adorado aquele almoço diferente, então comecei a conhecê-la. Perguntei de que tipo de filmes ela gostava e ela falou de romance e ficção. Ela perguntou por que eu queria saber aquilo. Então eu disse que tinha uns vídeos no quarto, mas que não eram de romance e nem de ficção. Perguntei se ela queria assistir e ela concordou. Fomos ao quarto e eu sentei na cama pedindo para que ela sentasse numa cadeira. A loirinha me surpreendeu dizendo que preferia sentar na cama porque era mais confortável. Dizendo isto sentou-se ao meu lado. Coloquei um filme pornô e meio sem graça disse:

- Se você não gostar eu tiro ok?
-Tudo bem! -Exclamou ela enquanto olhava atentamente cada cena de sexo que rolava na fita. Nesse momento eu já estava de pau duro, acho que ela também estava molhada, pois de repente ela perguntou :

- Isto é realmente bom?
- Sim. É ótimo!
- Por isso que você e a titia sempre fazem isso? Perguntou ela.
- Claro que sim. - Respondi

Nesse momento eu estava bem perto dela e arrisquei colocar minha mão em suas pernas. Ela não reagiu. Comecei a mexer minha mão subindo até suas partes íntimas, observando que ela gostava porque sua respiração ficou mais forte. Em certo momento não agüentei e perguntei:

- Você gostaria de provar como é bom?
- Não é perigoso a tia saber?
- Vai ser um segredinho nosso! Você vai gostar mesmo porque precisa aprender para depois quando casar fazer como eu e sua tia fazemos.

Meu cacete já estava latejando quando comecei a forçar a mão entre suas coxas. Encostei no seu ouvido e dei umas mordidinhas na sua orelha , ela parece gostar pois nesse instante ela se deitou ao meu lado e levantou sua blusa. Ela estava só de calcinha mesmo! A safada parecia que previa o que iria acontecer.

Nesse instante me atirei em cima dela puxando sua calcinha e revelando uma xaninha linda na minha frente. Coloquei meu dedo e percebi que ela já está toda molhada. Comecei a massagear e ela ficou se torcendo como um verdadeiro pecado humano ao meu lado. De repente eu abri mais suas pernas e comecei a chupar sua xotinha. Ela suspirava e gozava respirando pesado.

Tirei minha roupa e coloquei meu pau na sua mão pedindo que ela fizesse do jeito que a tia dela faz.Meio sem graça ela colocou na boca e começou a chupar. Inicialmente devagar e depois aumentando seus movimentos me fazendo gozar dentro de sua boquinha. Quando ela sentiu o gosto cuspiu logo com nojo. Então me pediu deixando louco:

- Vai... Coloca na minha bucetinha, mas devagar porque eu nunca fiz isso.

Abri bem suas pernas e comecei a passar a cabeça do meu pau na entradinha da sua buceta e ela, doida, pediu:

- Coloca logo!

Ela já estava bem lubrificada e fui introduzindo lentamente enquanto ela se torcia toda. Segurei-a bem forte e dei uma estocada fazendo entrar de uma só vez. Então ela gritou forte e tentou me empurrar, mas já era tarde! Eu estava inteirinho dentro dela. Entre seus soluços comecei a me movimentar colocando para dentro e para fora. Que delicia aquela xotinha quentinha, apertada e gostosa. Dei várias estocadas até gozar dentro dela.... Acabei fazendo isso três vezes. Desde adolescente não conseguia fazer igual. Ela também acabou gozando me fazendo sentir sua vagina contrair-se em volta do meu cacete.

Desabei sobre ela deixando meu pau ainda dentro até sentí-lo amolecer e sair sozinho da sua bucetinha. Olhei para o meu pau e para o lençol, havia sangue por tudo... Seu cabacinho já era!Levantei-me para ir ao banheiro tomar banho e ela veio logo em seguida. A safada era igual a tia dela pois queria ainda mais... Ao chegar ao chuveiro começou a me beijar e a chupar meu pau de novo. Apesar do meu cansaço ele levantou e eu fui ficando em ponto de bala.

Então eu a ergui, levantando seu corpo até encaixar sua bucetinha no meu membro e aos poucos fui a fazendo descer até sentir meu pau escorregar e entrar nela novamente. Meti assim por um tempo e depois desencaixei, colocando a de costas apoiada na parede do banheiro. Comia sua bucetinha por trás e ela parecia gostar, pois empurrava sua bundinha na direção do meu cacete sem dó. Nós não conseguíamos parar de transar e quando percebi já eram seis da noite. Minhas pernas já estavam até bambas de tanto foder.

Depois desta maratona tivemos que parar, pois logo minha esposa chegaria mas combinamos de repetir isso outras vezes. Acabei dispensando a empregada com a justificativa de que nós mesmos nos viraríamos com o almoço. Com isso eu e Amanda teríamos mais privacidade para transar sempre que quiséssemos.

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget