Proposta Muito Decente

Estes dias resolvi me inscrever no Adult Friend para realmente verificar se encontrava alguma situação real. Então fiz um perfil dirigido às mulheres lindas e fogosas. Recebi retorno de vários estados e entre eles havia um que me chamou a atenção. A mulher dizia ser casada, ter 27 anos, superdotada e insaciável. Seu marido era fazendeiro e adorava vê-la sendo possuída por outro homem. Dizia também que não tinha muito tempo para ficar trocando mensagens pela internet e que se eu estivesse interessado que entrasse em contato diretamente com eles.

Assim que recebi a mensagem com o numero do telefone, liguei para eles. Batemos um longo papo e eles me fizeram à proposta de me enviar um cheque que cobrisse as despesas de viagem, já que eles moravam em Goiás, onde eu poderia ficar uma semana na fazenda deles.

Assim que recebi o cheque, viajei. Na rodoviária, um motorista estava me esperando um café. Apos as apresentações, seguimos para a fazenda. Até ai, tudo normal. Logo que chegamos à fazenda, que ficava a menos de 100 km do Araguaia, fui ao banheiro para tomar uma ducha.

Quando sai, uma crioula me esperava na porta do banheiro. Perguntei pelo casal e ela respondeu que fossemos para o quarto e que ali me explicaria tudo. Ao chegarmos ao quarto, foi logo tirando a roupa e dizendo que eu ia transar com ela ali.

Quando vi a sua buceta e um enorme grelo, mais parecendo uma castanha-do-pará, fiquei sem entender nada, mas logo ela me tranqüilizou dizendo que estávamos sendo observados pelo tal casal e que, dependendo do meu desempenho com ela, transaria com eles.

E se eu não conseguisse despertar a tara deles, eu não os veria mais, voltaria naquele mesmo dia. Sabendo disso, pensei que tinha que agradar aquela crioula pra que ela me dissesse qual era a tara deles, para que eu pudesse transar com aquela gata gostosa.

Então a negra se aproximou de mim e começou a me beijar. Mas era uma negra de 1,78m de altura, de pernas longas e esguias, e eu nunca antes tinha trepado com negra.
Ela me ordenou que tirasse a roupa, enquanto massageava a sua xoxota. Logo o meu pênis ficou tão duro quanto funcionário de prefeitura e o grelão dela também ficou durinho e começou a escorrer um liquido pelas pernas.

Ela passava a língua no meu pau e dizia que era muito gostoso. Mas ela pegou um pênis artificial e introduziu na sua vagina e disse que eu ficasse batendo punheta e andando de um lado para o outro do quarto, enquanto ela ficava olhando. Depois me pediu que eu metesse meu pau em sua boca e que chupasse os seus peitos.

Ela começou a gritar tão alto que eu fiquei apavorado, pois não sabia o que fazer. Então ela fez desaparecer totalmente o consolo em sua xoxota e eu comecei a gozar em sua garganta. Em seguida, ela mandou que eu deitasse na cama, cobriu os meus olhos com o travesseiro e, de repente, mandou que eu o tirasse.

Então, eu vi a minha frente um casal: uma mu1her linda, alta, loira, olhos verdes e uma buceta do tamanho da Amazônia. Ela aparentava ter uns 25 anos e o rapaz mais ou menos a mesma idade. Ele tinha mais ou menos 1,80m de altura, era loiro também e tinha um pênis que mais parecia uma mandioca descascada de tão branco e fino.

A primeira impressão que tive foi que aqueles dois eram irmãos, pois eram muito parecidos. Ele me perguntou se eu estava bem, respondi que sim, só que não estava entendendo. Ele me explicou que o casal que tinha ido me esperar na rodoviária tinha sido pago por ele só para me levar até a fazenda porque caso a transa não se realizasse, eles não ficariam conhecidos.

Explicou que primeiro eles queriam ver o homem com quem vão transar e; se por acaso ele no 1hes agradasse, ele não os ficaria conhecendo Logo ele me ofereceu uma bebida importada e disse que eram do Rio Grande do Sul, da cidade de Canoas, e que estavam a fim de saciar suas taras comigo.

Ao dizer isso, pegou no meu pau, beijou-o e disse a Susy que tratasse de mim. Ela, então, me abraçou e disse que o Sílvio era louco por esperma e que eu tinha que ejacular na boca dele, depois de gozarmos juntos. E começou a me chupar lentamente. A negra, então, disse:

-Vamos fazer o triangulo do amor?

E pegou o Sílvio, deitou-o no carpete e sentou-se em cima do pênis dele, enquanto a loira se sentou sobre o rosto dele. As duas chupavam uma a língua da outra, o Sílvio chupa a loira e fodia a negra ao mesmo tempo e nessa situação eles ficaram, até que eu não agiientei mais e coloquei o meu pau entre a boca das duas, que me deram um verdadeiro banho.

Quando eu já estava para gozar, pois era uma gemedeira de todos os lados que estava me deixando louco, a loira pegou no meu pau e puxou o Sílvio para que o abocanhasse. Rapidamente inundei sua boca com meu esperma, que ele engoliu todo. Em seguida, coisas surpreendentes e se retirou.

Então, as duas e eu trepávamos até não podermos mais. No dia seguinte, repetimos tudo e assim todos os dias. No penúltimo dia, Sílvio me disse que sabia que eu estava a fim de trepar só com a Susy, que ele concordava, mas apenas durante o dia. Então, Susy e eu ficamos a sós e eu me deliciei com a melhor mina que já vi, que chamava carinhosamente de "montanha" por seu tamanho descomunal.

Na ultima noite, voltamos a fazer o triangulo do amor. Depois, o Sílvio mandou as duas saírem e abocanhou meu pau e sugou-o até eu ejacular em sua boca. Continuou com meu pau em sua boca por toda a noite e ao acordar, gozei, pela ultima vez, na boca dele.

Eu nunca tinha visto um homem que gostasse de esperma. Todo o esperma de todas as trepadas que dei foi para a boca dele! Mas achei legal e, quando os três me levaram de volta à rodoviária na hora da despedida Susy me entregou um cheque que me deixou pasmado pela importância. Mas Sílvio garantiu que não se tratava de premio e sim pelo custo da próxima viagem minha, que eles ficariam aguardando.

By Fogoso - Enviado por email

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget