Ah. Eu Tô Maluco

Meus amigos, minhas amigas internautas, a história que passo a relatar agora, é muito recente aconteceu à apenas um mês. Sou um universitário tenho 21 anos, e estou me formando neste ano, durante o trote da nossa Faculdade acabei conhecendo três garotas lindas, todas com 19 anos. Durante o primeiro semestre saímos muitas vezes, fomos a várias danceterias, fomos ao litoral, mas nunca rolou nada a mais (para minha infelicidade).

Só que tudo isto mudou a apenas um mês, estávamos em uma inocente festa junina, bebendo quentão e vinho quente, quando decidimos dar uma esticadinha e as 23:00h fomos a uma choperia. Por onde eu passava o público parava e olhava afinal eu estava acompanhado de três mulheres lindíssimas, as quais aqui vou chamar apenas de Princesa, Gata e Sereia.

Bebemos mais um pouco, jogamos muita conversa fora e quando já eram 02:00h da madrugada, decidimos ir embora, fui então levá-las para casa da Sereia pois elas já haviam combinado com suas mães, que iriam dormir todas lá, pois os pais e o irmão da Sereia estavam viajando. Quando cheguei na porta do prédio, enquanto me despedia da Gata e da Princesa, ela percebendo que eu estava um pouco alto, pediu que também dormisse em seu apartamento, pois tinha medo que eu dirigisse naquele estado, com eu estava um pouco cansado decidir aceitar.

Subimos todos para o seu apartamento, Princesa e a Gata se acomodaram no quarto dos pais, eu no quarto do irmão e a Sereia foi ao seu quarto. Quando o relógio já apontava às 3:00h, acordei com uma tremenda vontade de ir ao banheiro afinal já havia bebido muita cerveja aquela noite. Enquanto estava no banheiro sem querer acabei derrubando um vidro e xampu, e acabei acordando a Sereia, que veio ver o que tinha acontecido.

De repente ao abrir a porta acabei vendo minha amiga de uma maneira que nunca tinha visto antes, ela estava com seus cabelos louros longos soltos, vestida com um baby doll de seda marfim, que delineavam as suas curvas como nunca, a sua bundinha era empinada desafiando a bendita lei da gravidade, e os seus seios estavam durinhos eu conseguia ver a sua auréola rosada por traz da seda.

Com aquela visão o meu membro ficou ereto de imediato, que eu quase não entendia o que ela falava comigo, e aquela hora eu apenas pensava eu agarrá-la e devorá-la. Sem falar nada apenas cheguei perto dela e dei-lhe um beijo profundo, e para minha surpresa fui prontamente retribuído, sentindo as nossa línguas se entrelaçarem.

As minhas mãos começaram a deslizar por aquele corpo tentador, minhas mãos se deliciavam em sua bundinha enquanto com a língua ela quase que me tira o fôlego. Entre beijos e muito esfrega levei-a até o meu quarto, chegando lá mais do que prontamente ela me sentou na beirada da cama, e ajoelhada ao chão me livrou de minha bermuda juntamente com a cueca fazendo saltar o meu pênis totalmente ereto, que foi abocanhado e sugado como um pirulito de criança, não sobrava muito o que fazer a não ser me deliciar com aquele bola gato, cada vez que eu era sugado o meu pinto crescia até chegar um ponto que eu não agüentava faz.

Pedi para comer sua bucetinha, mas ela disse que eu era o seu escravo e que iria fazer o que gostava comigo. Sem muita reação apenas me inclinei para trás e aguardei o gozo chegar, lambuzando aquela boquinha toda, que continuou me sugando até acabar com toda a porra, alguns minutos depois quando ela já havia acabado o serviço oral todinho, ela simplesmente se levantou, me deu um beijo na testa e falou um durma bem.

Me deitei e fiquei com aquelas palavras Durma Bem na cabeça, não conseguia pregar os olhos, decidi então ir até a sacada do apartamento para tomar um ar fresco. Chegando a sacada encontrei a Princesa debruçada olhando para a lua, a minha visão era maravilhosa pois ela tinha a bundinha mais gostosa que já havia visto (melhor que da Carla Perez), perguntei a ela se também havia perdido o sono, ela me respondeu que sim e pelo mesmo motivo meu.

Pois havia escutado os sussurros ofegantes meus e da Sereia. E ela disse que tinha muita vontade de fazer também pois ainda era virgem, pois era noiva a 4 anos, e juntamente com seu noivo juraram se casar virgens. Ouvindo tudo aquilo não me contive e cheguei perto dela dando-lhe um beijo e descendo minhas mãos pelos seus seios, até encontrarem a sua buceta.

De imediato ela se afastou de mim, pois ela me disse que era um juramento. De imediato falei a ela que iria respeitar, mas se ela estava mesmo com vontade, ela poderia confiar em mim que eu não iria ultrapassar os limites. Ela voltou a se aproximar me beijou, e de repente se virou de costas, falando que já tinha uma solução, a buceta seria do seu noivo, mas aquele cuzinho aquela noite seria todinho meu.

Comecei então a deslizar as minhas mãos pelos seus seios, enquanto o meu pênis encostava em sua bundinha, mesmo estando vestidos, enfiei a minha língua em sua orelha, e sussurrei a ela, que aquela noite seria inesquecível. Fui levando ela ao meu quarto, mas antes passamos pelo banheiro e peguei um vidro de Óleo Johnsons, chegando ao quarto nos livramos de nossas roupas pude então ver a 8° maravilha do mundo ali, na minha frente, ela era muito linda, já estávamos doidos de tanto tesão, coloquei ela de quatro na cama, mesmo sem o meu caralho no seu cú, ela já gemia e se contorcia feito uma serpente, peguei o óleo, passei em minha piroca, coloquei mais um pouco óleo nas mãos e lambuzei naquele cuzinho que estava fervendo.

Primeiro encostei a cabecinha bem devagarzinho, a Princesa deu um pequeno gemido, aos poucos fui sentindo aquele cuzinho, e colocando a cabeça e com muito cuidado coloquei todo o meu pau, ela chorava de sentir dor, perguntei se queria que parasse, ela ordenou que não, fui aos poucos dando pequenas estocadas até ela se acostumar com o meu pau em suas entranhas.

Depois de algumas estocadas ela já se sentia na liberdade de rebolar, e pedir que eu fosse mais rápido, comecei a acelerar, ela se contorcia e retorcia feito uma potranca no cio, cada estocada minha ela soltava um suspiro, um gemido, o nosso ritmo cada vez mas acelerado, até que ela disse que devia estar gozando, tendo um orgasmo, pois esta era a primeira vez, e ela não sabia que aquela sensação era mesmo um orgasmo, a cada segundo o nosso ritmo aumentava até que eu não estava agüentando mais, e ela juntamente comigo teve mais um orgasmo sensacional, enchi aquele cuzinho com tanta porra, que chegava a escorrer lambuzando aquela bundinha deliciosa.

Aos poucos fomos no recompondo, quando percebi ela já havia dormido nos meus braços. Durante mais de uma hora fiquei no que já havia acontecido comigo, mas eu ainda não tinha fudido nenhuma bucetinha, foi quando tomei coragem e decidi ir até o quarto onde estava a Gata, como um ladrão fui abrindo a porta bem devagar e tive uma visão maravilhosa, uma gata loura, com uma bundinha de dar inveja a muitas garotas e uns seios daqueles bem pequenininhos mas tentadores e deliciosos.

Fui me aproximando e cada vez chegando mais perto, comecei a acariciar o seu rosto, e acordei ela. Ela achou estranho, afinal o que eu fazia no quarto dela, falei que eu estava doido por ela, que já fazia muito tempo que eu já não olhava para ela apenas como amigo, mas sim como uma mulher, uma linda mulher, e logo em seguida sem deixar muita alternativa, comecei a beijá-la.

Ela encostou no meu ouvido e me falou bem baixinho que também era doida por mim à algum tempo. Ficamos nos beijando por um bom tempo sentia a sua língua carnuda e quente chegar até a minha garganta, as nossas mãos deslizando pelos nossos corpos, eu beijando a sua boca, seu pescoço acariciando os seus seios a sua bundinha, e ela me retribuindo tudo.

Aos poucos fui descendo até chegar nos seus seios, os biquinhos estavam durinhos, chupei-os como nunca tinha chupado os de nenhuma outra garota, enquanto isto ela delirava, pois ela adorava ser chupada, fui descendo até chegar na sua buceta que aquele dia estava raspadinha, parecendo uma pré-adolescente, o cheiro de uma bucetinha molhada é sensacional, com a língua fui abrindo aquela rosa até encontrar o seu grelinho, que passei a mordiscar e chupar fazendo que ela gozasse a primeira e a segunda vez.

Continuei chupando aquela bucetinha e aos poucos fui me virando até que o meu caralho ficou ao seu alcance e ela o abocanhou ficamos num delicioso 69 por um bom tempo, e ela gozou mais uma vez. o meu pau já latejava de tanto tesão, então coloquei-a de quatro e fui, até que enfim penetrando aquela bucetinha úmida, aos poucos fomos aumentado o nosso ritmo, ela cada vez rebolava mais, e pedia que eu fosse mais, eu de imediato atendi.

Naquela posição e que estava eu tinha a visão privilegiada de ver o seu cuzinho piscando, mas a minha piroca estava sendo sugada pela sua bucetinha. Percebendo que nós dois iríamos gozar dentro de mais alguns instantes, naquela posição que estávamos, cada vez mais aumentando o ritmo, e conforme aumentava o nosso ritmo comecei a acariciar o seu cuzinho com o meu dedo indicador, primeiro apenas acariciava depois enfiava até que enfiei o dedo todinho, e aos mesmo tempos enchi aquela buceta de porra, e ela desfaleceu em outro orgasmo sensacional.

Depois de mais esta foda, eu estava morto e o sol já estava raiando, eu decidi ir embora já que cada uma estava em um quarto, me despedi de todas e fui embora para casa, naquele dia eu tirei o sono dos deuses.

Enviado por email – autor anônimo

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget