A Sua Mulher

Cheguei à casa do Fabio e da Vanessa um pouco antes do almoço para batér um papinho e passar o tempo. Eles são meus amigos ha muito tempo, e ficamos por horas conversando e nos divertindo entre brincadeiras, filmes e outras coisinhas.

Quando se iniciou à tarde, ele foi para o computador, pois tinha que fazer uns trabalhos. Ficamos, eu e a Vanessa na sala discutindo, bebendo alguma coisa, vendo fotos. O tempo passou e ela me dizia que o Fabio era sempre assim, que ele deveria ter casado com o computador, pois quando o ligava não saia mais da frente.

Eu não sei ao certo como foi, lembro-me ter concordado com ela e em seguida começamos a conversar sobre as dificuldades e os prazeres de se ter um companheiro. A conversa acabou por entrar no campo do sexo. Como tínhamos muita liberdade um com o outro, não víamos nenhum problema nisso.

Conversamos bastante e em seguida começamos, inevitavelmente a nos flertar. Sem que eu me desse conta já estava a seu lado, beijando-a. Neste momento tive um sentimento de culpa, mas ao mesmo tempo de prazer, pois Vanessa era realmente linda e percebi que ela despertava muita coisa dentro de mim.

Ela me beijava com um fogo, me apertava, me acariciava, às vezes parava e me olhava fundo nos olhos. Aquilo mexia comigo, mas não conseguia parar de pensar no Fabio, que estava tão próximo e poderia chegar a qualquer momento. Ela me dizia coisas lindas, como se estivesse apaixonada por mim.

Após um longo beijo ela me fitou nos olhos por um bom tempo e depois me pegando pela mão me levou até seu quarto. Naquele momento eu me dei conta que estava prestes a fazer amor com aquela mulher. Em uma velocidade incrível ela me despiu todinho, eu ainda estava em pe quando ela começou a beijar todo o meu corpo, de cima em baixo, em pouco tempo ela pagava um delicioso boquete. Eu a peguei pela cabeça enquanto ela fazia que o meu duro pau latéjasse.

Neste momento resolvi entrar na dança. Deitei-a e comecei a beijá-la por inteiro. Dei muita aténção aos teus pés, tornozelos e joelhos. Enquanto a beijava eu a acariciava com minhas mãos. Ela mordia o lençol e se contorcia. Sua bucetinha estava toda molhadinha e pronta pra receber meu membro. Mas, eu continuei a lambê-la e beijá-la.

Seus quadris de movimentavam de uma forma incrível. Beijei teu umbigo, lambi tuas pernas. Louco pra sentir o gosto da sua pererequinha entre meus lábios, mas me contive e fiquei ainda alguns bons minutos sem provar daquela bucetinha quente. Ela gemia muito, e a cada vez que eu lambia os arredores da sua xaninha ela me puxava pra dentro, mas eu a evitava.

Até que dei uma longa lambida seguida de deliciosos pequenos beijos na tão cobiçada e bonita buceta. Ela estava toda molhada. Comecei a beijar, a foder com um dos dedos, e a acarinhar com outro. Em pouco tempo ela gozou. Não parei e a impressão que tinha era que ela não parava de gozar. Ela me implorava pra fude-la.

Ainda acarinhando tua bucetinha eu parti na exploração do teu cuzinho. Dei um delicioso beijo enquanto acariciava tua bucetinha molhada. Continuei a beijá-la e passei as suas costas, nuca, orelha e por fim a sua boca. Neste momento estava sobre ela, quando me pediu que a possuísse. Não pensei duas vezes.

Posicionei meu cacete na sua grutinha e comecei a roca-lo na portinha. Sem deixar que ele entrasse comecei a rebolar, qoue lhe retirou gemidos e sussurros. Ela me implorava pra enfiar tudo e tentava me puxar pela minha bunda.

Mas eu resistia, e brincava com meu cacete na sua xoxota que não parava de rebolar. Ela gozou e vi que teus olhos imploravam pelo meu cacete. Eu estava louco pra sentir ele todo dentro dela! Nem pensei em preservativo, meti o ferro! Quando o pau entrou ela gemeu alto! Tive medo que o Fabio entrasse no quarto dirigente! Taquei o fodas! Estava muito delicioso e comecei a foder aquela fêmea!

Ela dizia coisas obcecas, eu a tratava de putinha. Ela me implorava pra fude-la e dizia que queria passar o resto de sua vida com minha pica dentro dela. Ela mexia e remexia que era um estouro! Sua bucetinha estava quente e parecia que ela não gozava a séculos!

Quando senti que iria gozar, ela me pediu pra gozar dentro dela, oque eu fiz com todo o prazer! Gozei como um louco e tive que fazer um esforço danado pra não fazer barulho! Passados alguns minutos entre beijos e caricias, nos demos conta do Fabio. O quarto cheirava a sexo, e rapidamente tomamos um banho juntos e nos vestimos.

Eu tinha um medo imenso de abrir a porta e ver o Fabio lá fora. Quando saímos, fomos a sala e ligamos o radio. Em seguida ouço o Fabio nos chamando até onde ele estava. Fomos os dois juntos, eu estava com medo, confesso. Pra minha grata surpresa ele me diz:

- Olhem aqui o que eu encontrei na internet, um site de contos eróticos.

Eu não conhecia o site, e prestei aténção no que ele dizia. Ele abriu um conto e brincou: Aqui tem muita historia de viado e de corno! Lembro-me de termos lido alguns contos e resolvi memorizar o endereço pra vir aqui lhes contar esta historia. Obviamente mudei o nome dos personagens, pois é quase certo que ele vai ler este conto aqui. Só vai ficar com a pulga atrás da orelha a pensar se e a sua mulher que foi deliciosamente comida.

Conselho: Cuide bem da sua mulher, ela pode estar fodendo com outro neste exato momento!

By Comedor - por email

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget