Conto Erotico: Exibicionismo em Dobro

Exibicionista assumida, jovem e bonita, praticante de diversos esportes, sendo o body boarding o meu predileto. Morando em Santos, sou assídua freqüentadora das praias do Guarujá. Às vezes fico lá uma semana inteira, pois meus pais têm uma quitinete numa das mais belas praias de lá. Tenho apenas 19 anos, loiríssima, l,68mt, 62kg, seios médios, bumbum arrebitado, pernas fortes, coxas torneadas e uma xoxotinha saliente.

Tudo isso, numa fêmea ardente, fogosa e exibicionista que sou, já me rendeu belos garanhões e prazeres infinitos. Nem me lembro quando foi a última vez que usei sutiã. Meus peitos estão sempre soltos sob as roupas, com os biquinhos sempre duros parecendo querer furar o tecido. Calcinha, só uso em situações especiais, quando vou à casa de parentes ou de pessoas amigas de meus pais. Fora isso, a calcinha é uma peça que não me faz falta.

Pelo contrário, me dá um tesão incrível andar sem, sentir o vento atingir meus pentelhos ou cruzar as pernas em frente de um homem gostoso e ver no rosto dele a expressão de espanto. Meu dentista, um coroa gostoso, já descobriu essa minha mania e quase me convenceu a dar para ele na cadeira do consultório. Mas vou deixar para o final do tratamento, acho que vai ser super gostoso. No ônibus, procuro um gostosão e me encosto nele para um sarro delicioso

Certa vez um cara mais ousado tirou o pau para fora e o enfiou debaixo da minha minissaia, encaixando-o entre minhas coxas. O pinto dele devia ser enorme, porque me atravessou todinha e ainda encostava na parte da frente da saia. Gozei gostoso e segundos depois ele também melou minhas coxas e meus pentelhos. Saí do ônibus com o esperma escorrendo pelas pernas e deliciosamente saciada.

Seduzi, entre outros, um primo gostosão. Bastou eu pedir para que ele me segurasse a escada enquanto eu subia para pegar algo no armário. A visão da minha bundinha nua, minha bucetinha peluda e creio que até meu buraquinho traseiro, já que eu separei um pouco as pernas, foi tão erótica que fui lambida, beijada e chupada no alto da escada mesmo. A língua grossa e quente me fez gozar ali mesmo no alto e só saí dali para sentar-me no colo dele devidamente encaixada no pau grosso de durão.

Curti tantas outras aventuras que, se eu fosse narrar, não teria espaço nesta página. Vou contar apenas a última aventura com um cara gostosão. Numa manhã de sol, acordei excitadíssima, com um tesão incrível que tomava conta do meu corpo todo. Meus seios eriçados, xoxota molhada e uma coceirinha gostosa no rabinho, meus pêlos arrepiados, que até fazer xixi me deu um imenso prazer. Senti que algo ia acontecer.

Tomei o primeiro ônibus na avenida da praia, encostei-me em homens, fiz com que eles soubessem que eu estava sem calcinha sob o short largo e mostrei sob o decote generoso meus peitinhos duros. Na travessia da balsa puxei o tecido para o lado e mostrei a um homem a minha xoxota gostosa. Naquele canto solitário, ele tentou me seguir mas misturei-me com a multidão e depois peguei um táxi.

Pobre motorista, quase provocou um acidente ao me ver pelo espelho com as pernas abertas e a minha buceta esquentando ao sol que entrava pela perna do short. Cantou-me mas não cedi. Fui para a kit e vesti meu fio-dental, que eu reformei especialmente para mim. Cortei a parte de trás e reduzi a apenas uma tirinha. Dessa forma ninguém fica sem ver meu cuzinho caso eu queira mostrar, basta ficar de quatro, agachar-me, ou deitar-me de bruços com as pernas abertas. A parte da frente é minúscula e nem consegue conter meus pentelhos que teimam em sair pelos lados e a de cima só cobre os bicos.

Era bem cedo e não tinha quase ninguém na praia. Saí para caminhar e cruzava com algumas poucas pessoas que também caminhavam. Com os movimentos meu biquíni foi entrando entre os lábios da xoxota e me deixando quase nua, meus pêlos eram visíveis pelas laterais do minúsculo triângulo de tecido. Meu tesão crescia a cada passo quando percebi que um moreno atlético se aproximava correndo. Ele me ultrapassou e baixinho murmurou: Linda... Ele permaneceu correndo de costas, olhando-me.

Apenas sorri enquanto ele continuou a corrida. Minutos depois, quando eu já me aproximava da ponta da praia, um garotão deitado na areia exibia um volume bastante generoso sob a sunga, devia estar com o pau duríssimo, pois parecia que tinha uma enorme banana sob o tecido. Tesuda como eu estava, passei devagar e disparei um elogio: Grandão.... Imediatamente ele perguntou:

- Quer ver?... Eu parei ainda de costas para ele, pensei, virei-me e retruquei:
-Só se você ver a minha também.... Eu vou adorar... foi a resposta dele.

Aproximei-me rebolativa e provocante. Fiquei de cócoras e puxei o biquíni para o lado e separei os lábios. Ele disse:

- Delícia... Enquanto expunha aos meus olhos um pau enorme, tão grande que eu nunca vi nada igual. Fantástico... foi meu elogio.

Fiquei de quatro, virada de costas para ele, e mostrei-lhe meu cuzinho rosado. Ainda com o tecido afastado ele viu também minha xota por trás. Sentamos um de frente pro outro e iniciamos uma masturbação mútua. Gozei e fui atingida na buceta, na barriga e nos seios pelos jatos fortes de esperma.

Só depois disso nos apresentamos e descobrimos ser dois exibicionistas assumidos. Fomos para meu apê e transamos gostoso. Senti o dolorido prazer de ser enrabada por um pau tão grosso e duro. A partir daí passamos a namorar e já estamos juntos há quase dois meses. Nesse período, vivemos deliciosas aventuras juntos curtindo as delícias que o exibicionismo pode dar.

Conto erotico escrito por Carla

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget