Sociedade Total

Bem, antes de mais nada, gostaria de explicar porque identifiquei o tipo de meu relato. Também acredito que tal identificação irá facilitar muito nossas leituras. Já que todos apenas discutem e não tomam a iniciativa, eu dei o início.

Tenho uma empresa de informática. Meu sócio tem uma linda namorada. Loira, olhos azuis, corpinho violão. Sempre tive o maior tesão por ela, mas por respeito ao sócio, nunca tive liberdades. Há 3 meses atrás meu sócio foi a Curitiba fechar negócios com um de nossos fornecedores. Eu fique para cuidar da loja.

Nesse dia resolvi ficar até mais tarde, todos funcionários já haviam ido embora. Mais ou menos 22:3Oh, tocou meu telefone celular, era a namorada de meu sócio. Perguntou onde eu estava, disse-lhe que estava na loja. Ela disse que precisava falar comigo pessoalmente e que era muito importante. Então, fiquei preocupado e pedi para que viesse à loja, pois eu precisava terminar uns trabalhos. Logo ela chegou, perguntei o que estava acontecendo.

Sem meio termo, ela disse que apenas queria me ver. Fiquei meio confuso no momento. Não tive reação imediata. Então ela agarrou meu pescoço e começou a me beijar. Nossa, eu nem acreditava que isso estava acontecendo. Houve uma mistura de tesão com preocupação. Não sabia se devia continuar com aquilo. Mas não tive outra opção, ela começou a alisar meu pau, que a essa altura ficou todo nervoso. Nossa o bichinho estava latejando de tanto tesão.

Foi quando ela abriu minhas calças e colocou o bruto todo na boca. Começou a chupá-lo com tanta veracidade. Que gulosa. Quando percebi que iria gozar, disse a ela para parar, porém ela continuou e eu não agüentei, gozei na boquinha dela. Aquilo me deu mais tesão ainda, vê-la toda molhada do meu prazer.

Tirei sua mini blusa e comecei a chupar seu peitinhos, era do tipo pontudo para cima, que maravilha. Fui descendo até seu umbigo, levantei sua saia, dei umas mordidinha no seu bumbum. Então tirei sua calcinha e pedi para ela colocar uma perna em cima de uma cadeira. Entrei debaixo e comecei a sugar aquela buceta carnuda.

Quando vi que ela estava toda molhadinha, enfiei quatro dedos na bitela. Ela gemia feito uma cadelinha. Me pedia para eu fodê-la. Não tive dúvida, obedeci imediatamente, coloquei-a de quatro e enfiei o bruto na danada. Modéstia a parte, tenho um membro até que avantajado e além de tudo grosso. Quanto mais eu enfiava, mais ela gemia.

Aquilo era demais. Nunca imaginei que ela fosse tão safada. Como fodia gostoso. Confesso que ela acabou comigo. Quanto apetite. Gozei intensamente naquela bucetinha. Foi a transa mais gostosa que tive. Ainda não repetimos a dose. Mas assim que meu sócio precisar viajar novamente, já terei mais horas extras a fazer na loja.

Conto erótico enviado por email - by Empresario

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget