Conto erótico : Ainda Não Entendi

Desde novinho gostava de roubar calcinhas da minha irmã para vestir e ficar me olhando no espelho. Isso me dava uma sensação gostosa. Pois apesar de novo me sentia bem. As vezes passava o dia inteiro com a dita cuja enterrada na bundinha. Eu tinha um amiguinho da minha idade, o Juninho, que sempre me chamava para o porão da sua casa. Agente ficava brincando de segurar o pinto do outro.

Era mais gostosinho ainda quando ele arriava a minha calcinha enfiava a sua língua no meu cuzinho. Depois ele me obrigava a chupar a seu pintinho. Assim a coisa foi caminhando até quando o Juninho se mudou. Porém a mania das calcinhas não parou. Até que um dia um colega da turma da travessa em que eu morava percebeu que eu estava de calcinha num dia que eu estava usando um short mais apertadinho. Ele me chamou num canto para confirmar.

Eu morri de vergonha dele e pedi pelo amor de Deus para não contar para ninguém. Foi aí que ele me chantageou, dizendo que só não contaria se eu deixasse ele me ver de calcinha. Como não tinha outra opção, fomos até a chácara que ficava perto de casa com o pretexto de pegar umas mangas no pé. O local tinha uma vegetação bem fechada o que dificultava agente ser descobertos. Não precisei nem tomar iniciativa, ele me pediu para ficar de costas para ele, e então começou a arriar o short bem devagarzinho ao mesmo tempo que beijava suavemente as minhas nádegas. Aquilo foi me dando um tesão, que eu nem sei explicar.

Quando dei por conta , eu estava ajoelhado aos seus pés já com a sua pica toda dentro minha boca. Eu mamava aquela pica com uma vontade que não queria tira-la da minha boca nem por um segundo. Senti então um jato de leite quente e grosso dentro da minha boca. Não sabia definir o gosto que tinha, queria cuspir fora, mas ele segurou firme a minha cabeça e obrigou a engolir toda a porra. No dia seguinte, só fiquei pensando naquela transa.

Para minha surpresa, ele me procurou e chamou para ir até a casa dele para ver um vídeo. Chegando lá, o puto tinha ido a locadora para pegar uma fita de vídeo pornô que se chamava Folias anais, fomos assistir no seu quarto e trancados. Mal entramos no quarto, ele já estava com o piru durinho, me pediu para chupar sua pica de novo , igual ao dia anterior. Eu não conversei, e engoli toda a rola novamente.

Só que agora eu engoli a sua porra por vontade própria. Me deu prazer. Começamos a assistir o filme juntinhos , e eu tocando uma punhetinha nele. Eu vendo aquelas penetrações anais ficava o cuzinho piscando de vontade, até que me virei de bruços e pedi para ele chupar o meu cuzinho. No inicio ele ficou meio sem ação, mas devagar ele foi beijando as minhas nádegas até chegar no cuzinho. Eu gemia de tesão ao mesmo tempo que me masturbava. Gozei sentindo aquela língua gostosa acariciando o meu cuzinho.

Foi uma sensação indescritível. Logo a pica dele estava dura novamente. Aí , partimos para a penetração. Pedi para ele deitar no chão, vim por cima dele e fui sentando devagarzinho na sua pica. Como doía. Quando dei por conta, já estava tudo dentro de mim, e aí a sensação de dor virou um puta prazer. Como eu rebolava em cima daquela pica gostosa.

Eu sempre imaginei que a minha primeira foda fosse ser assim. Pois lá em casa trabalhou uma empregada, que eu sempre a via no seu quarto transando com o seu namorado exatamente nesta posição. Eu sentia prazer em vê sentindo prazer. Bem , depois de um vai e vem gostoso e frenético, ele gozou forte dentro de mim. E deu para sentir direitinho o jorro da porra dentro de mim.

Nessa hora ele levantou o seu corpo, e meu beijou deliciosamente na boca. Foi aí que senti outra sensação maravilhosa na minha vida. Eu me senti uma verdadeira mulher, abraçada com seu macho e cheia da porra dele dentro do seu corpo. Foi demais. Até hoje agente transa. E eu não tenho coragem de me assumir. Tenho um corpo bonito, mas ficaria mais bonito ainda se eu tomasse hormônio. Mas não tenho coragem.

Já transei com meninas também, mas não sinto prazer. Quando elas vão gozar, o meu cuzinho começa a piscar, e da vontade de pedir para ela me penetrar. Não tem jeito, gosto é de dar pro meu macho gostoso. Sou apaixonado por ele. Tenho medo de perde-lo. O que faço gente ? Alguém já passou por isso ?

Conto erótico enviado por email by Curioso

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget