Descabaçando Um Virgem Anal

Certo dia resolvi ,por pura curiosidade, responder um anúncio erótico onde o marido dizia ter vontade de ver sua esposa fodendo com outro. Logo veio a resposta, nela marcava um encontro, meu e do marido em um barzinho e lá fui eu. Chegando lá conheci o Paulo e logo nos simpatizamos um com o outro,então perguntei a respeito de sua mulher o qual me contou que o encargo de encontrar um parceiro havia ficado para ele, mas que ela já nos esperava caso ele fosse com a minha cara. Então fomos, depois de uns drinks, para seu apartamento ali bem próximo.

Chegando lá pude ver aquele monumento de mulher e não consegui imaginar como alguém com tudo aquilo pra si iria querer dividi-la, fomos conversando, bebemos mais um pouco e quando demos conta já estávamos num maior amasso. Em seguida nos despimos os três e fomos para o quarto onde começou uma suruba, fodia sua boca, mordi suas tetas até ficarem vermelhas, fodia sua buceta enquanto Paulo batia uma punheta, até que dado momento ele disse:

— Benzinho deixa ele comer seu cuzinho pra eu ver, ele falou que é cuidadoso.

Ela relutou e disse que de jeito nenhum e falou porque que ele não dava sendo que ele também tem um! Então Paulo brincando respondeu:

— Se eu der primeiro você dá? Pois como você sabe meu maior sonho é quebrar este teu cabaço para que possamos foder sempre esse seu cuzinho.

Ela disse que poderia pensar. Paulo não tendo outra escolha me perguntou se eu toparia, o que de pronto disse que sim, pois a essa altura do campeonato já estava mais afim do rábico de sua mulher do que ele próprio, então toparia qualquer parada. Meti duas camisinhas passei bastante creme enquanto sua mulher ia com os dedos acostumando o buraco, quando já estava no ponto fui aos poucos enfiando meus 21 cm, ele urrava de dor e me pedia para tirar um pouco para se acostumar, e daí continuávamos até que entrou um bom pedaço, e olhando para sua mulher disse:

— Viu benzinho agora é a sua vez, e ela respondeu:
— Não enquanto eu não ver tudo isso bem alojado ai dentro, pois quando for a minha vez, tenho certeza que você irá querer que eu agüente tudo também!

Ao ouvir isso meti tudo sem dó, ele deu um grito e tentou se esquivar, mais como sou muito mais forte segurei até que se acalmasse e comecei um vai e vem alucinado naquele cuzinho apertado olhando sua mulher bater uma siririca, então falei para a safada que seria a vez dela, para que ficasse de lado em uma posição mais confortável, pois sabia que seria mais delicada a penetração, mas para a minha surpresa a entrada foi muito mais fácil que a de Paulo, ou por estar mais tranqüila depois de ver o marido na situação ou por estar mais lubrificada, pois enquanto bombava Paulo ele lhe enfiava o dedo no cu. Aí chegou a vez de Paulo dar o troco dizendo para mim.

— Mete tudo, arregaça esse cu, arromba pra que eu possa comer todos os dias sem me preocupar com nenhuma prega.

Sendo assim segui sua orientação e meti tudo até o talo, aí foi sua vez de gritar e chorar pedindo para que eu tirasse, e Paulo disse que teria que agüentar até eu gozar, iniciei uma bombada gostosa até gozar, saí de cima e veio Paulo no meu lugar dizendo:

— Você regulou tanto que agora irei descontar todo esse tempo de tesão. E enterrou a pica no cu de sua esposa que já estava desmaiada de tanto levar no cu, embora um pau menor que o meu, devia ter uns 19 cm, mas mesmo assim ela chorava e gemia, depois de gozar tirou o pau sujo de porra e sangue.

Após nos recuperarmos da trepada, fomos tomar um banho e me mandei. Ainda tenho tido contato com eles e ficamos de marcar uma nova data para repetir tudo, tudo mesmo de novo, pois além de comer a mulher também gostei de foder o marido, de preferência na frente da mulher, pois cá pra nós, Paulo tem um rabo de fazer inveja a muita mulheres.

Conto erótico recebido por email e escrito por Comedor de Casais / SP

0 comentários:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget